Página Principal > Colunistas > Lactentes febris: estudo criou escore de risco para identificá-las.
Craniossinostose

Lactentes febris: estudo criou escore de risco para identificá-las.

Tempo de leitura: 3 minutos.

Lactentes febris com idade igual ou inferior a 60 dias apresentam alto risco de infecções bacterianas graves. No entanto, a maioria dos modelos preditivos para identificação de crianças febris com risco de infecção bacteriana grave no momento da admissão na emergência está desatualizada. Além disso, não é baseada em dados epidemiológicos ou inclui biomarcadores como a procalcitonina, que não está amplamente disponível em ambientes de tratamento agudo.

Modelo preditivo para identificar lactentes febris com ≤60 dias com baixo risco de infecção bacteriana invasiva

Sendo assim, com o objetivo de derivar e validar internamente um modelo de predição para identificação de lactentes febris com idade igual ou inferior a 60 dias e com baixa probabilidade de infecção bacteriana invasiva (IBI), Aronson et al. conduziram o estudo A Prediction Model to Identify Febrile Infants ≤60 Days at Low Risk of Invasive Bacterial Infection, publicado em junho na revista Pediatrics, da Academia Americana de Pediatria1

Foi realizado um estudo caso-controle retrospectivo, incluindo crianças febris ≤ 60 dias que deram entrada nas emergências de 11 hospitais entre 1° de julho de 2011 e 30 de junho de 2016. As crianças com IBI foram definidas pelo crescimento de um patógeno no sangue (bacteremia) e/ou no líquido cefalorraquidiano (LCR) (meningite bacteriana). Estes pacientes foram pareados por hospital e data de ida à emergência a dois pacientes controle sem IBI. Foram excluídos lactentes em mal estado geral e aqueles com condições crônicas complexas. Os preditores de IBI foram identificados através de regressão logística múltipla e validados internamente com validação cruzada de 10 vezes. Um escore para IBI foi calculado.

Leia mais: Manejo de bebês febris: a importância da avaliação completa

Foram incluídos 181 lactentes com IBI [155 (85,6%) com bacteremia sem meningite e 26 (14,4%) com meningite bacteriana] e 362 pacientes controle. Destes, 23 lactentes com IBI (12,7%) e 138 pacientes controle (38,1%) tiveram febre apenas pela história. Quatro preditores de IBI foram identificados [área sob a curva 0,83 (IC95%: 0,79-0,86)] e incorporados a um escore IBI1

  • Idade <21 dias – 1 ponto;
  • Temperatura mais alta registrada no departamento de emergência (38,0-38,4°C) – 2 pontos –  ou ≥ 38,5°C – 4 pontos;
  • Contagem absoluta de neutrófilos ≥5185 células por μL – 2 pontos;
  • Resultados anormais no exame simples de urina – 3 pontos

A sensibilidade e especificidade de um escore ≥ 2 foram 98,8% (IC95%: 95,75-99,9%) e 31,3% (IC95%: 26,3%-36,6%), respectivamente. Todos os 26 lactentes com meningite apresentaram escores ≥  2. Entre os pacientes com pontuação < 2, a probabilidade pós-teste de IBI foi de 0,08% (assumindo uma probabilidade pré-teste de 2%)1,2.

Considerações Finais

Portanto, o estudo conclui que lactentes ≤60 dias de idade com febre somente pela história associada a um resultado normal de exame simples de urina e a uma contagem absoluta de neutrófilos <5185 células por μL têm baixa probabilidade de IBI.

Este algoritmo proposto por Aronson et al. é o primeiro modelo preditivo para identificar lactentes febris com ≤60 dias com baixo risco de IBI a abordar crianças admitidas no pronto-socorro com febre apenas pela história (incluindo aquelas com febre em casa ou clínica, mas não na emergência). Um escore clínico confiável poderá ajudar a evitar a punção lombar e a hospitalização nesses bebês de baixo risco. Contudo, embora seja bastante promissor, precisa ser validado externamente em estudos prospectivos antes de poder ser usado na prática clínica.

Autora: 

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.