Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Maior parte das mortes em crianças de 5 a 14 anos pode ser evitada
crianças mortalidade infantil

Maior parte das mortes em crianças de 5 a 14 anos pode ser evitada

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

Com o aumento da sobrevida global para crianças menores de cinco anos de idade se faz necessário urgentemente reduzir as aproximadamente 1 milhão de mortes de crianças de cinco a 14 anos que ocorrem a cada ano em todo o mundo.

Como as causas de morte nessas idades permanecem pouco documentadas, um estudo explorou as tendências nas causas de morte na Índia, China, Brasil e México, que abrigam cerca de 40% das crianças do mundo com idades entre cinco e 14 anos.

Foram examinados dados sobre 244.401 mortes em crianças de cinco a 14 anos de quatro fontes de dados nacionalmente representativas que obtiveram distribuições diretas das causas de morte: Indian Million Death Study, Chinese Surveillance Points, Instituto Nacional de Estadística. y Geografía, e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foram apresentados no estudo dados sobre 12 principais grupos de doenças em todos os países, com discriminação por doenças transmissíveis e nutricionais, doenças não transmissíveis, lesões e causas mal definidas. Para calcular as taxas de mortalidade específicas por sexo e por idade para cada causa, foi aplicada a distribuição nacional de causa de morte nos envelopes de mortalidade da ONU para 2005–16 para cada país.

Resultados

Ao contrário do Brasil, China e México, as doenças transmissíveis ainda respondem por quase metade das mortes na Índia em crianças. Em 2016, a Índia teve as maiores taxas de mortalidade em quase todas as categorias, inclusive de enfermidades transmissíveis. Declínios rápidos entre o sexo feminino na mortalidade por doenças transmissíveis diminuíram a diferença até 2016 com os meninos na Índia (32,6 mortes por 100 mil meninas contra 26,2 por 100 mil meninos) e China (1,75 vs.1 5).

Na China, os ferimentos foram responsáveis ​​pelas maiores proporções de mortes (20 970 [53,2%] de 39.430 mortes estimadas, nas quais o afogamento foi uma das principais causas).

A taxa de mortalidade por homicídio na faixa etária de 10 a 14 anos foi maior para meninos do que para meninas no Brasil, aumentando anualmente em uma média de 0,7% (0-3-1.1).  Na Índia e na China, as taxas de morte por suicídio foram mais altas para meninas do que para meninos com idades entre 10 e 14 anos.

Por outro lado, no México, as taxas de mortalidade foram maiores para meninos do que para meninas, aumentando anualmente em uma média de 2,8% (2,00-3,3).

Leia maisComo prevenir afogamento de crianças?

Mortes por acidentes de transporte, afogamento e câncer são comuns em todos os quatro países, com os acidentes de transporte entre as três principais causas de morte para ambos os sexos em todos os países – exceto para meninas indianas, e câncer nas três principais causas para ambos os sexos no México, Brasil e China.

A maioria das mortes que ocorreu entre 2005 e 2016 em crianças de cinco a 14 anos na Índia, China, Brasil e México surgiu de condições evitáveis ​​ou tratáveis. Essa faixa etária é importante para ampliar algumas das metas globais específicas para doenças desenvolvidas para crianças menores de cinco anos de idade.

Os resultados desse estudo mostram que intervenções para controlar doenças e lesões não transmissíveis, e para fortalecer os sistemas de notificação de causas de morte, também são necessárias.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.