Malha transvaginal comparada com reparo de tecido nativo para prolapso de órgãos pélvicos

Prolapso de órgãos pélvicos podem afetar negativamente a vida das mulheres, não somente pelos sintomas, mas pela saúde mental de pacientes.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Prolapso de órgãos pélvicos (POP) podem afetar negativamente a vida das mulheres, não somente pelos sintomas causados pelo POP em si, mas também por prejudicar a saúde mental dessas pacientes. Seis por cento das mulheres apresentam sintomas devido POP, e aproximadamente 50% apresentam POP ao exame físico realizado por um especialista. Sendo assim, é de suma importância realizar estudos para melhorar a assistência prestada às mulheres.

prolapso de órgãos

Estudo

Em maio de 2022 foi publicado um artigo na Obstetrics and Gynecology com o objetivo de comparar a segurança e eficácia da reparação da tela transvaginal e da reparação de tecido nativo, em resposta a ordem de estudo para avaliar desfechos co-primários de superioridade e não inferioridade do Food and Drug Administration (FDA) dos EUA.

Os autores desenvolveram um estudo prospectivo, não randomizado, de coorte paralelo e multicêntrico comparando tela transvaginal com reparo de tecido nativo para o tratamento de prolapso de órgãos.

O sucesso composto do endpoint primário em 36 meses foi de 89,3% (201/225) para tela transvaginal e 80,2% (389/485) para reparo de tecido nativo, demonstrando não inferioridade na margem pré-definida de 12%. Portanto, a tela transvaginal não foi superior ao reparo de tecido nativo no endpoint primário de 36 meses (P5.056). Usando o endpoint composto secundário, a superioridade da tela transvaginal sobre o reparo do tecido nativo foi notado (P5.009), com um escore de propensão ajustado com diferença de 10,6% (IC 90% 3,3-17,9%) em favor de malha transvaginal. O sucesso subjetivo para o desfecho primário e secundário foi de 92,4% para a malha transvaginal, 92,8% para o reparo de tecido nativo, um escore de propensão–diferença ajustada de 24,3% (IC 212,3% a 3,8%). Pelo desfecho primário de segurança, 3,1% (7/225) dos pacientes no grupo da tela transvaginal e 2,7% (13/485) de pacientes no grupo de reparo de tecido nativo desenvolveram eventos adversos graves, demonstrando que a tela transvaginal não foi inferior ao reparo de tecido nativo (20,4%, IC 90% 22,7% a 1,9%).

Quiz: relato de prolapso anal e hematoquezia. Qual será o diagnóstico?

Conclusões do estudo

De acordo com os autores do estudo, o reparo transvaginal com tela para o tratamento do prolapso vaginal anterior e/ou apical não foi superior ao reparo com tecido nativo em 36 meses. Uma consideração importante, porém subjetiva, do ponto de vista da experiência da paciente, o sucesso foi alto e não estatisticamente diferente entre os grupos. O reparo transvaginal com tela foi tão seguro quanto o reparo com tecido nativo em relação aos efeitos adversos relacionados ao dispositivo e/ou eventos graves relacionados ao procedimento.

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão
# Kahn, Bruce MD; Varner, R. Edward MS, MD; Murphy, Miles MD; Sand, Peter MD; Thomas, Sherry MD, MPH; Lipetskaia, Lioudmila MD, MS; Chung, Doreen E. MD, FRCSC; Mahdy, Ayman MD, PhD; Noblett, Karen MD, MBA Transvaginal Mesh Compared With Native Tissue Repair for Pelvic Organ Prolapse, Obstetrics & Gynecology: May 5, 2022 - Volume - Issue - 10.1097/AOG.0000000000004794 doi: 10.1097/AOG.0000000000004794