Monkeypox: Nota técnica do Ministério da Saúde traz orientações para profissionais da saúde darem aos pacientes

A nota técnica traz orientações sobre pacientes gestantes, lactantes e puérperas com sintomas ou casos positivos da varíola dos macacos.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

O Ministério da Saúde publicou, nesta segunda-feira (1), uma nota técnica com orientações para profissionais da saúde darem às pacientes gestantes, lactantes e puérperas que apresentem sintomas ou tenham casos positivos da varíola dos macacos. Confira as recomendações. 

nota técnica

Gestantes assintomáticas após exposição ao vírus 

  • Em caso de teste negativo: monitoramento será suspenso;
  • Em caso de teste positivo: será indicado o isolamento domiciliar por 21 dias, sem visitas;

A gestante também deve ser instruída à automonitoração, acompanhando a sua temperatura e o aparecimento/evolução das lesões cutâneas. 

Gestantes com sinais ou sintomas suspeitos 

  • Em caso de teste negativo: será indicado o isolamento domiciliar por 21 dias, sem visitas e orientada a automonitoração. O teste deverá ser realizado novamente, caso os sintomas persistam;
  • Em caso de teste positivo: deve ser indicada a hospitalização da gestante nos casos moderados, graves e críticos. O monitoramento da vitalidade fetal deve ser cuidadoso nessas pacientes, em vista da constatação de maior morbimortalidade do concepto nestes casos;
  • Em caso de teste positivo com quadro clínico leve – As gestantes devem ficar em isolamento domiciliar com acompanhamento pela equipe assistencial;

Não há ainda protocolo de tratamento específico com antivirais no ciclo gravídico-puerperal; a via e o momento do parto têm indicação obstétrica e a cesárea como rotina não está indicada nestes casos. O aleitamento deve ser analisado de acordo com o quadro clínico de cada caso específico.

Saiba mais: Brasil receberá antiviral tecovirimat para enfrentamento ao surto da varíola dos macacos

Tratamento na gravidez 

Apesar da doença ser considerada autolimitada, apresentando cura espontânea, em alguns casos pode haver a necessidade de tratamento medicamentoso específico, sobretudo em pessoas imunossuprimidas. 

Na maioria das vezes, somente há indicação de uso de tratamento sintomático para casos com febre e dor. Nos casos que apresentem lesões mais significativas, algumas medicações podem ser consideradas após a avaliação médica. 

Em geral, as grávidas apresentam quadros leves e autolimitados da enfermidade; sem indicação de antecipação do parto. 

Recomendações para gestantes, puérperas e lactantes 

  • Afastamento de indivíduos que apresentem sintomas suspeitos, como febre e lesões de pele-mucosa;
  • Uso de preservativo em todos os tipos de relações sexuais (oral, vaginal, anal), uma vez que a transmissão pelo contato íntimo tem sido a mais recorrente;
  • Afastamento de parcerias sexuais que apresentem alguma lesão na área genital:
  • Uso de máscaras, principalmente em ambientes com indivíduos potencialmente contaminados com o vírus;
  • Procurar assistência médica em caso de sintoma suspeito, para que se estabeleça diagnóstico clínico e laboratorial.

Leia também: Cientistas do Reino Unido alertam para dois novos sintomas da varíola dos macacos

Gravidez e amamentação 

Os dados sobre a infecção por varíola dos macacos na gravidez são limitados. Os cientistas ainda não sabem se as grávidas são mais suscetíveis ao vírus monkeypox ou se a infecção é mais grave na gravidez. 

O vírus pode ser transmitido ao feto durante a gravidez ou ao recém-nascido por contato próximo durante e após o nascimento. Resultados adversos da gravidez, incluindo perda espontânea da gravidez e natimorto, foram relatados em casos de infecção confirmada por varíola dos macacos durante a gravidez. 

Partos prematuros e infecções neonatais por varíola dos macacos também foram relatados. A frequência e os fatores de risco para gravidade e resultados adversos da gravidez não são conhecidos, segundo alerta o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. 

O órgão de saúde americano ainda destaca que como o vírus monkeypox é transmitido por contato próximo e a infecção neonatal pode ser grave, a amamentação deve ser adiada até que os critérios para descontinuar o isolamento sejam atendidos. Os critérios são que todas as lesões tenham desaparecido, com as quedas das crostas e que seja formada uma nova camada de pele intacta nos seios da mãe.

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades

# Ministério da Saúde divulga orientações para profissionais da saúde, gestantes, lactantes e puérperas sobre a varíola dos macacos. Ministério da Saúde. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/2022./agosto/ministerio-da-saude-divulga-orientacoes-para-profissionais-da-saude-gestantes-lactantes-e-puerperas-sobre-a-variola-dos-macacos  # NOTA TÉCNICA Nº 46/2022-CGPAM/DSMI/SAPS/MS. Ministério da Saúde. Disponível em:  https://egestorab.saude.gov.br/image/?file=20220801_O_SEIMS-0028381567-NotaTecnicagraviadsmonkeypoxfinal_1567282545601784855.pdf  # Clinical Considerations for Monkeypox in People Who are Pregnant or Breastfeeding. CDC. Disponível em: https://www.cdc.gov/poxvirus/monkeypox/clinicians/pregnancy.html