Nefrologia

Disponível novo cateter para diálise

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Pacientes dialíticos comumente enfrentam problemas associados a perda de seus acessos de diálise. Os cateteres percutâneos se tratam de um último recurso para realização da diálise em pacientes com múltiplas estenoses que não permitem a adoção de novo acesso para fístula, sendo associados a maior incidência de infecção e tromboses, com consequente internação e diminuição de sobrevida.

Neste contexto, novo cateter percutâneo de longa permanência (Hemodialysis Reliable Outflow -HeRO®) foi aprovado pelo FDA (Food And Drugs Administration, órgão americano de regulação) e chegou ao Brasil neste semestre. O novo cateter foi especialmente desenvolvido para estes casos de pacientes com Doença Renal Crônica em estágio terminal e que possuem oclusão de veia central.

Leia mais: Doença renal em fase terminal: hemodiálise ou diálise peritoneal?

O cateter é constituído por 5 mm de silicone com reforço de nitinol, cuja ponta é posicionada no átrio direito, e 6 mm de politetrafluoretileno cuja função é arealizar a anastomose da artéria braquial. Como todo o cateter é tunelizado, inclusive a área de punção, reduz-se o risco de infecções, bem como a anastomose direta com o átrio direito, que diminui o risco de tromboses.

Estudo clínico prospectivo multicêntrico e não-randomizado, realizado nos Estados Unidos, estudou os benefícios do novo cateter, medindo como desfechos a ocorrência de bacteremia, manutenção da hemodiálise e manutenção de patência do dispositivo. Os resultados foram favoráveis à solução, havendo redução de 69% no risco de bacteremia nos pacientes em uso do novo cateter em comparação aos tunelizados tradicionais.

As diretrizes indicam para todos os pacientes com falência renal em estágio final a hemodiálise por fístula artério-venosa como primeira opção, seguido do enxerto artério-venoso, cateter venoso tunelizado ou não tunelizado como alternativas. O Hero® torna-se portanto alternativa importante para pacientes com falência de outras vias.

Referências:

  • Ratcliff, C; Hansrani, M.M. From ZeRO to HeRO: Saving lives one HeRO at a time. International Journal of Surgery Case Reports.27 (2016)p.90-92.
  • Katzman, H.E.; McLafferty, R.B.; Ross, J.R.; Glickman, M.H.; Peden, E.K.; Lawson J.H. Initial experience and outcome of anew hemodialysis acess device for catheterdependent patients. New England Society for Vascular Surgery. Vol.50, n.3, p.600- 607.September 2009.
  • Shakarchi, J.A.; Houston, J.G.; Jones, R.G.; Inston, N. Areview on the Hemodialysis Reliable Outflow (HeRO) Graft for Haemodialysis Vascular Acess. Eur J Vasc Endovasc Surg (2015) 50, 108-113.
Compartilhar
Publicado por
Eduardo Cardoso de Moura

Posts recentes

Psiquiatria Infantil: conheça a nova categoria do Whitebook

O Whitebook agora tem a categoria Psiquiatria lnfantil. Conheça os conteúdos que tratam de transtornos…

2 horas atrás

Profissionais de saúde LGBTQIA+: oportunidades, desafios e enfrentamentos [podcast]

No mês do orgulho LGBTQIA+ recebemos em nosso podcast o ginecologista e obstetra Vitor Maga,…

4 horas atrás

Prazo de inscrição em cursos sobre hanseníase termina neste dia 30 de junho

As inscrições em três cursos a distância sobre o tratamento da hanseníase terminam nesta quinta-feira, 30 de…

5 horas atrás

Quando suspender a medicação de manutenção na nefrite lúpica? Resultados do estudo WIN-Lupus

A nefrite lúpica é uma manifestação frequente e grave do lúpus eritematoso sistêmico (LES). O…

6 horas atrás

Tratamento de trombose venosa cerebral: o uso de DOACs é mais eficaz do que antagonistas de vitamina K?

A trombose venosa cerebral tem maior incidência nos jovens. Existe alternativa à anticoagulação por tempo…

7 horas atrás

Sedação e analgesia por dor e estresse prolongados durante a ventilação mecânica em prematuros: a dexmedetomidina é uma alternativa à prática atual?

A ventilação mecânica em recém-nascidos prematuros causa dor e desconforto, que podem ser minimizados com…

8 horas atrás