Novos resultados sobre o uso hidroxicloroquina na profilaxia pré-exposição ao SARS-Cov-2

Tempo de leitura: 2 min.

Os profissionais de saúde na linha de frente do Covid-19 estão em alto risco de contrair a doença. Atualmente, apesar de muitas medicações terem sido levantadas como possíveis profilaxias, até onde sabemos, não foi descoberta nenhuma eficaz para indivíduos em risco.

Um estudo publicado no JAMA hoje avaliou o papel da nossa velha conhecida hidroxicloroquina em profissionais de saúde hospitalares com exposição a pacientes com Covid-19, usando uma estratégia de profilaxia pré-exposição. Será que desta vez a medicação trouxe algum benefício?

Leia também: Agência americana suspende uso emergencial de hidroxicloroquina na Covid-19

Método

Trata-se de um ensaio clínico randomizado, duplo-cego e controlado por placebo conduzido em 2 hospitais terciários. O estudo randomizou 132 profissionais de saúde em tempo integral em hospitais (médicos, enfermeiras, auxiliares de enfermagem certificados, técnicos de emergência e fisioterapeutas), dos quais 125 eram inicialmente assintomáticos e tiveram resultados negativos para SARS -CoV-2 por swab nasofaríngeo.

Os participantes foram divididos em 2 grupos, o que recebeu a hidroxicloroquina (na dose de 600 mg, diariamente) e o grupo placebo (que foi dado em tamanho correspondente), ambos foram tomados por via oral por 8 semanas. O ensaio foi encerrado mais cedo por futilidade, antes de atingir a inscrição planejada de 200 participantes.

O desfecho primário foi a incidência de infecção por SARS-CoV-2 determinada por um swab nasofaríngeo na quarta e na oitava semana de tratamento. Os desfechos secundários incluíram efeitos adversos, descontinuação do tratamento, presença de anticorpos SARS-CoV-2, frequência de prolongamento do QTc e desfechos clínicos para participantes positivos para SARS-CoV-2.

Resultados da hidroxicloroquina contra o SARS-CoV-2

Dentre os participantes do estudo, não houve diferença significativa nas taxas de infecção em participantes randomizados para receber hidroxicloroquina em comparação com placebo (4 de 64 [6,3%] vs 4 de 61 [6,6%]; P > 0,99). Um total de 8 participantes tiveram resultados positivos para SARS-CoV-2 (6,4%), destes 6 desenvolveram sintomas virais; nenhum necessitou de hospitalização e todos se recuperaram clinicamente.

Saiba mais: Hidroxicloroquina como profilaxia pós-exposição para SARS-CoV-2?

Mensagem prática

  • Neste ensaio clínico randomizado, embora limitado pelo término precoce e pela população pequena, não houve benefício clínico da hidroxicloroquina administrada diariamente por 8 semanas como profilaxia pré-exposição em profissionais de saúde expostos a pacientes com infectados pelo SARS-Cov-2.
  • Aguardamos novos estudos que possam fornecer uma medicação eficaz para a profilaxia pré-exposição ao SARS-Cov-2.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Abella BS, et al. Efficacy and Safety of Hydroxychloroquine vs Placebo for Pre-exposure SARS-CoV-2 Prophylaxis Among Health Care Workers A Randomized Clinical Trial. JAMA Intern Med. Published online September 30, 2020. doi:10.1001/jamainternmed.2020.6319
Compartilhar
Publicado por
Dayanna de Oliveira Quintanilha

Posts recentes

ACC 2021: oclusão do apêndice atrial em cirurgia cardíaca + anticoagulação pode reduzir risco de AVE?

O estudo LAAOS 3 avaliou se a oclusão do apêndice atrial esquerdo, adicionada à posterior…

8 horas atrás

ACC 2021: sacubitril + valsartana ou ramipril para pacientes com IAM e IC?

O trial PARADISE-MI, apresentado no congresso do ACC 2021, testou a eficácia e segurança do…

8 horas atrás

ACC 2021: aspirina na prevenção secundária – qual a melhor dose?

O estudo ADAPTABLE, apresentado no congresso do ACC 2021, buscou entender se doses maiores de…

13 horas atrás

Whitebook: murcormicose

Em nossa publicação semanal de conteúdos do  Whitebook Clinical Decision vamos falar sobre a apresentação…

14 horas atrás

Ceratite infecciosa e lentes de contato: O que precisamos saber?

A ceratite infecciosa é a complicação mais séria que pode decorrer do uso de lentes…

1 dia atrás

Hemorragia intracraniana em pacientes que tomam anticoagulantes orais

A hemorragia intracraniana é potencialmente devastadora associada à terapia anticoagulante. Sua reversão é uma emergência. Saiba…

1 dia atrás