O paciente que não melhora

A principal complicação de uma descompensação aguda de uma doença crônica é… a falta de adesão medicamentosa. Aderir ao tratamento é uma tarefa árdua e cheia de obstáculos.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Relembrem uma situação já vivenciada… você diagnosticou um paciente com uma doença crônica assintomática (hipertensão, dislipidemia ou diabetes mellitus) e iniciou o tratamento com um medicamento. Após algumas consultas, ele já faz uso de três ou quatro medicamentos para controle só dessa morbidade. Apesar disso, o parâmetro inicial não se modificou em nada (ou reduziu minimamente).

Para quem ainda é estudante e não vivenciou isso, com certeza, já leu que antes de se classificar um paciente como tendo uma doença refratária, deve-se checar a adesão medicamentosa. Também já deve ter lido que a principal complicação de uma descompensação aguda de uma doença crônica é… a falta de adesão medicamentosa. Aderir ao tratamento é uma tarefa árdua e cheia de obstáculos.

Recentemente, um trabalho observacional avaliou paciente com transtorno bipolar ou esquizofrenia que utilizavam um dispositivo digital para que os médicos pudessem checar a adesão medicamentosa. Os pacientes aplicavam um adesivo na pele e a medicação continha compostos ativados no trato digestivo que sinalizam ao sensor na pele que o medicamento havia sido ingerido. O sensor permitia a checagem digital pelo paciente e sua equipe médica.

À primeira vista, podemos imaginar que assim vamos conseguir melhorar a adesão. Mas, será que isso é verdade?
Quando utilizamos computadores, frequentemente, fechamos caixas de pop-up que surgem na tela, muitas vezes, alertando a necessidade de atualizar o sistema operacional ou mesmo o anti-vírus. Fazemos isso de forma automática. Será que basta ao médico saber que o paciente não utiliza o remédio prescrito e o cobrar que assim o faça?

Existem diversos motivos para uma pessoa não aderir ao seu tratamento:

  • Distúrbios psicológicos, principalmente, a depressão
  • Déficit cognitivo
  • Presença de doença assintomática
  • Falta de auto percepção sobre sua doença e seu papel no autocuidado
  • Efeitos adversos das medicações
  • Não enxergar benefício no tratamento
  • Complexidade inerente ao tratamento (como na insulinização)
  • Custo das medicações

Leia também: ‘Antihipertensivos – recomendações para aumentar a aderência ao tratamento’

O farmacêutico clínico é um profissional que pode ajudar muito nesse processo de identificação da adesão e de medidas a serem tomadas. Além do diálogo, existem ainda outras formas de se avaliar a adesão, nenhuma é perfeita e cada uma conta com pontos a favor e contra seu uso:

  • Observação direta da terapia
  • Dosagem sérica do medicamento
  • Questionários aplicados ao paciente
  • Contagem de pílulas
  • Tempo para renovação da receita
  • Criação de um diário
  • Melhora clínica

O mais comum é sequer perguntar ao paciente como ele toma suas medicações. Porém, questionar de forma aberta ao paciente quais são suas dificuldades com a prescrição e como ele vem utilizando suas medicações é o primeiro passo para abordar a adesão terapêutica. O paciente tende a contar ao médico aquilo que este último deseja ouvir. Por isso, não é eficaz a simples pergunta: “está tomando certinho os remédios?” Da mesma forma, o questionamento em tom acusatório o afastará da resposta verdadeira.

O diálogo aberto é o primeiro e fundamental passo. E, como em todo diálogo, ouvir atentamente é mais importante que falar. O discurso repetitivo “tem que tomar os remédios para melhorar” é importante, mas ele pode ser vazio se você não identifica o motivo da falta de adesão. Por exemplo, o efeito adverso mais comum dos medicamentos é desconforto abdominal e diarreia, mas nós perguntamos isso às pessoas que atendemos?

Devemos sempre ouvir o paciente para saber o que e como devemos argumentar. Repensar a prescrição do paciente é importante, com o intuito de garantir maior adesão medicamentosa, ouvir os desejos do paciente e explicar sobre a possibilidade de atender ou não as suas vontades também é importante.

Algo que sempre devemos ter em mente é a redução do número de tomadas diárias de medicamentos. Paciente com uso de uma única droga quatro vezes por dia, chegam a ter taxas de adesão entre 31 a 71% (média de 50%). Outra estratégia útil é obter auxílio dos familiares, amigos ou vizinhos, assim como fornecer instruções claras e diretas a todos os envolvidos.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Referências:

  • Rosenbaum L. Swallowing a spy – the potential uses of digital adherence monitoring. N Engl J Med. 2017 [Epub ahead of print]
  • Kane JM, Perlis RH, DiCarlo LA, Au-Yeung K, Duong J, Petrides G. First exprience with a wireless system incorporating physiologic assessments and direct confirmation of digital tablet ingestions in ambulatory patients with schizophrenia or bipolar disorder. J Clin Psychiatry. 2013; 74(6):e533-40
    Osterberg L, Blaschke T. Adherence to medication. N Engl J Med. 2005; 353:487-97.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades

Tags