Leia mais:
Leia mais:
O uso de estatinas está associado à progressão do diabetes?
Como identificar 16 doenças que se manifestam pela boca
Pesquisa indica que brasileiros com diabetes reduziram o controle da doença na pandemia
Quiz: Agricultor apresentando deformidade nos dedos das mãos que dificultam o trabalho. Qual o diagnóstico?
Recomendações pré-concepcionais para paciente com diabetes (tipo 1 ou 2) da ADA

O que diz o ACOG 2018 sobre programação da gestação em diabéticas?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

O diabetes pré-gestacional é uma das doenças clínicas mais desafiadoras na gravidez, pela necessidade de monitorização fetal frequente, ajuste de medicamentos, e risco aumentado de complicações maternas e fetais. O ACOG lançou em dezembro um guideline com as principais recomendações para o manejo dessas pacientes desde o período pré-concepcional até o puerpério. Neste artigo, abordaremos apenas as questões que devem ser avaliadas preferencialmente antes de a paciente engravidar.

Embora seja pouco buscado pelas pacientes, o aconselhamento pré-concepcional foi considerado benéfico e custo-efetivo, devendo ser encorajado. O foco dessa abordagem é reforçar a importância do bom controle glicêmico, rastrear complicações da doença de base já existentes e orientar as pacientes quanto às principais complicações maternas e fetais que derivam da doença descompensada.

Leia mais: Você sabe identificar e diagnosticar a diabetes gestacional?

A avaliação inicial deve incluir, além de anamnese e exame físico, o acompanhamento dos níveis glicêmicos e a pesquisa de vasculopatias. Devem ser solicitados dosagem da concentração da hemoglobina glicada, função renal, proteinúria de 24h, lipidograma, eletrocardiograma e avaliação oftalmológica para pesquisa de retinopatia. A avaliação da função tireoideana é particularmente importante nas pacientes com DM1. Caso haja complicações da doença de base, estas devem ser tratadas preferencialmente antes da gravidez.

A paciente deve estar ciente que o risco de complicações na gravidez é diretamente proporcional ao aumento da hemoglobina glicada. Diabéticas com controle glicêmico adequado e HbA1c em torno de 5-6% têm incidência de malformações fetais próximas à da população de risco habitual. Concentrações mais altas, em torno de 10%, estão associadas a taxas de malformações entre 20-25%, que incluem cardiopatias complexas, malformações de sistema nervoso central (espinha bífida, anencefalia) e esqueléticas, como a agenesia sacral. O mau controle glicêmico também está associado ao aumento da frequência de abortamento espontâneo, macrossomia fetal e óbito intra-útero.

Em relação à morbidade materna, pode haver exacerbação importante da retinopatia ou nefropatia pré-existentes. As complicações obstétricas mais comuns são aumento da taxa de cesariana primária, polidramnia e parto pré-termo. A pré-eclampsia é mais frequente em pacientes hipertensas com mau controle glicêmico; pode ser observada em 15-20% das gestantes com DM1 sem nefropatia e até 50% se houver nefropatia.

É importante orientar que, com o aumento progressivo da resistência insulínica conforme o avanço da gestação, o controle glicêmico será mais cauteloso e que provavelmente serão necessários múltiplos ajustes de medicamentos. A segurança dos antidiabéticos orais na gestação ainda não está bem estabelecida, devendo a insulina ser a droga de escolha durante a gravidez.

Idealmente, portanto, a paciente deve estar com o diabetes compensado antes de engravidar, mantendo HbA1c menor que 6%, e as complicações identificadas devem ser tratadas preferencialmente antes da gestação, pelo risco de exacerbação. Caso a gestação não esteja nos planos ainda, é importante garantir acesso ao método contraceptivo adequado. Se for de desejo da paciente gestar em um intervalo de tempo mais curto, deve-se iniciar ácido fólico como habitual (ao menos 400 mcg/dia).

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar