Parto de cócoras x parto deitado: estudo do BMJ compara eficácia

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minuto.

Em novo artigo do British Medical Journal, pesquisadores investigaram se estar em posição de cócoras na segunda fase do trabalho de parto aumenta a chance de parto vaginal espontâneo em comparação com a posição deitada.

As participantes desse estudo randomizado controlado foram 3.093 mulheres nulíparas de 16 anos ou mais, a termo, com apresentação cefálica monocromática e no segundo estágio de parto com analgesia peridural, de 41 hospitais do Reino Unido. As gestantes foram randomizadas para uma posição de cócoras ou deitada.

Você sabe? ‘A real importância do mecônio na sala de parto’

Observaram-se menos partos vaginais espontâneos nas mulheres do grupo do parto de cócoras: 35,2% (548/1.556) em comparação com 41,1% (632/1.537) no grupo deitado (hazard ratio [HR] ajustado = 0,86; intervalo de confiança [IC] de 95% = 0,78 a 0,94). Esse resultado representa um aumento absoluto de 5,9% na chance de parto vaginal espontâneo no grupo deitado (NNT = 17; [IC] de 95% = 11 a 40).

Não foram encontradas diferenças nos desfechos maternos, neonatais ou de longo prazo.

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que, estar na posição deitada no segundo estágio do trabalho de parto, resulta em mais partos vaginais espontâneos em mulheres nulíparas com analgesia peridural, sem desvantagens em relação a desfechos de curto ou longo prazo para mãe ou bebê.

Leia o artigo na íntegra nesse link.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • The Epidural and Position Trial Collaborative Group.Upright versus lying down position in second stage of labour in nulliparous women with low dose epidural: BUMPES randomised controlled trial. BMJ 2017 Oct 18; 359:j4471. http://dx.doi.org/10.1136/bmj.j4471
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

4 comentários

  1. O artigo tá contraditório. Afinal qual o resultado da pesquisa? Em cima diz que de cócoras gera menos pve e no fim diz que de cócoras tem maior chance de pve.

    • Ana Carolina Pomodoro

      Olá, Lucas! Sou Ana Carolina, médica e colunista da Pebmed. No primeiro parágrafo, temos o objetivo do estudo (saber se de cócoras gera mais pve ou não). No meio diz que de cócoras tem menor chance de pve, o que é corroborado no final, já que diz que deitado gera mais pve. Poderia explicar melhor qual parte gerou dúvida? Grata

  2. Fernando Araújo

    A analgesia peridural não seria um viés?

    • Ana Carolina Pomodoro

      Olá, Fernanda! Segundo o artigo, todas as mulheres receberam analgesia peridural, sendo randomizadas apenas para parto de cócoras ou deitado, mas com as outras variáveis iguais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar