Pesquisa indica que 22% dos médicos não conhecem os perigos do álcool na gravidez

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Uma pesquisa realizada pela Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) revela que 2 em cada 10 médicos (22,7%) desconhecem os perigos de ingerir bebida alcoólica durante a gravidez. Esses profissionais  disseram, inclusive, recomendar até uma dose de vinho para as gestantes.

500x120-assinatura

O estudo foi feito com 1.115 médicos pré-natalistas de São Paulo e do Rio de Janeiro. Segundo os resultados, quase metade dos pacientes (44,8%) não chega nem a informar ao médico sobre o hábito de consumir bebidas. Isso mostra a importância de uma consulta pré-natal mais detalhada por parte dos profissionais de saúde.

Veja também: ‘Pesquisadores associam consumo de álcool a risco de câncer’

Todas as diretrizes atuais recomendam suspender o consumo de bebida alcoólica durante a gravidez. Umas das consequências mais graves é a síndrome do alcoolismo fetal.

Mais cuidados durante a gestação

As diretrizes para prevenção de tromboembolismo venoso na gestação foram atualizadas em setembro. A partir do novo artigo, recomenda-se que todas as mulheres grávidas se submetam à avaliação de risco. Saiba mais aqui.

As diretrizes para cuidar de pacientes com hiperêmese gravídica também foram atualizadas. Veja as novidades aqui.

Um estudo prospectivo recente sugere que bebês expostos ao acetaminofeno (paracetamol) no útero tem mais risco de desenvolver problemas comportamentais. Devido ao amplo uso do medicamento entre mulheres grávidas, a hipótese pode ter implicações importantes na saúde pública. Saiba mais aqui.

Em outro estudo recente, pesquisadores confirmaram que enjoos e vômitos durante a gravidez estão associados com uma redução de 50% a 75% no risco de aborto espontâneo. Os resultados podem oferecer mais segurança para as mulheres que experimentam esses sintomas difíceis. Veja tudo aqui.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

250-BANNER6

Referências:

  • https://www.spsp.org.br/

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar