Leia mais:
Leia mais:
Pesquisadores da UFMG desenvolvem teste capaz de detectar os quatro tipos de dengue
Dengue: Número de casos de janeiro a abril já supera o de 2021 inteiro
Quiz: Arboviroses
Tripla infecção: é possível ter covid-19, gripe e dengue ao mesmo tempo?
Dengue ou Covid-19? Como diferenciar e principais recomendações

Pesquisadores da UFMG desenvolvem teste capaz de detectar os quatro tipos de dengue

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Uma técnica desenvolvida por pesquisadores do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é capaz de detectar os quatro tipos de dengue de forma mais ágil e precisa.

Liderado pelo virologista e professor do Centro de Tecnologia em Vacinas da UFMG, Flávio da Fonseca Guimarães, o estudo empregou um modelo baseado em métodos numéricos para criar um software baseado na nanotecnologia.

Leia também: Dengue: Número de casos de janeiro a abril já supera o de 2021 inteiro

Nele são utilizados nanobastões de ouro recobertos por uma proteína do vírus da dengue. Quando o soro de amostras de sangue do paciente com suspeita de dengue entra em contato com esses nanobastões, acontece um fenômeno elétrico onde a sensibilidade ampliada faz com o teste detecte com precisão se o paciente dengue ou doenças similares, como zika, chikungunya, febre amarela e encefalite Saint Louis. Além disso, a metodologia pode identificar qual o tipo de dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4 que o paciente apresenta.

Pesquisadores da UFMG desenvolvem teste capaz de detectar os quatro tipos de dengue

Fenômeno óptico de incidência de luz

O método descrito no artigo “Computational guided method applied to LSPR-based biosensor for specific detection of the four-serotypes of dengue virus in seropositive patients”, publicado pela revista Particle & Particle Systems Characterization, ainda é baseado no fenômeno óptico de incidência de luz, trazendo agilidade aos resultados através do novo software de cálculos que interpreta os resultados.

“A amostra do paciente costuma ser lida no espectrofotômetro, o mesmo aparelho que faz a leitura de testes sorológicos do tipo Elisa. A amostra é colocada em contato com o nanosensor e a leitura é realizada no espectrofotômetro. Em seguida, o resultado é interpretado pelo software. Para analisar uma amostra é necessário fazer uma série de cálculos para entender o resultado do exame e o método apresentado no artigo consegue realizar esses cálculos mais facilmente, agilizando os diagnósticos e ainda eliminando os resultados falsos positivos e negativos”, explicou a pesquisadora colaboradora da UFMG e uma das autoras do artigo, Alice Versiani, em entrevista ao portal da universidade.

A pesquisadora acrescentou que a otimização do tempo para os resultados é fundamental dentro do processo clínico de diagnóstico. “O software elimina o tempo que seria gasto na realização dos cálculos matemáticos, mantém a precisão dos resultados e ainda reduz o risco de erro humano”.

Saiba mais: Tripla infecção: é possível ter covid-19, gripe e dengue ao mesmo tempo?

Próximos passos

Após a publicação do artigo, a intenção da equipe é que o software seja adaptado para exames de outras doenças. A tecnologia foi patenteada pela UFMG e agora está sendo oferecida para a indústria.

A meta é desenvolver um kit comercial para que as pessoas possam realizar os exames diagnósticos em casa, adaptando o método e o processo de leitura para que possam ser realizados fora do laboratório.

“O próximo passo é transformar isso em um produto vendável. Precisamos agora de um parceiro na indústria para produzir e replicar essa metodologia para que ela chegue ao mercado”, contou o pesquisador Flávio Guimarães.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

# Machado GL, et al. Computational Guided Method Applied to LSPR-Based Biosensor for Specific Detection of the Four-Serotypes of Dengue Virus in Seropositive Patients. Particle & Particle Systems Characterization. 2022;39(3). DOI: 10.1002/ppsc.202100157

# UFMG. Método computacional acelera diagnóstico de quatro tipos de dengue. Disponível em: https://ufmg.br/comunicacao/noticias/metodo-computacional-acelera-diagnostico-de-quatro-tipos-de-dengue
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.