Página Principal > Psiquiatria > Pessoas casadas com alcoólatras têm maior risco de também apresentarem dependência do álcool.
consumo de álcool limites

Pessoas casadas com alcoólatras têm maior risco de também apresentarem dependência do álcool.

Tempo de leitura: 2 minutos.

Sabe-se que cônjuges se assemelham em relação ao risco de transtorno por uso de álcool (AUD), mas as causas dessa associação permanecem incertas. Por isso, um estudo publicado pela JAMA Psychiatry buscou entender a razão pela qual isso acontece.

Objetivo

O estudo buscou examinar longitudinalmente, em primeiros casamentos, a associação de um primeiro registro para o AUD em um cônjuge com risco de registro em seu parceiro. Além disso, estudar mudanças no risco para AUD em participantes com mais de um casamento quando eles mudam de um cônjuge com AUD para um que não tenha ou vice-versa.

Métodos

Os participantes eram indivíduos suecos nascidos no país entre 1960 e 1990 e que se casaram antes do final do estudo, em 31 de dezembro de 2013. Ao todos foram 8.556 pares conjugais sem histórico de registro de AUD antes de seu primeiro casamento, onde um deles tenha tido AUD durante o casamento, e 4891 indivíduos com múltiplos casamentos cujo primeiro cônjuge não teve registro no AUD e o segundo cônjuge tinha ou vice-versa. As análises estatísticas finais foram realizadas de 15 de agosto a 1º de setembro de 2017.

Alcoolismo: nova diretriz indica melhor tratamento medicamentoso

Resultados

Entre os 8.562 casais (5.883 do sexo feminino e 2679 do sexo masculino; média de idade no casamento: 29,2 anos) nos primeiros casamentos, a taxa de risco de AUD em esposas imediatamente após o primeiro registro do AUD em seus maridos foi de 13,82%, taxa que diminuiu 2 anos depois para 3,75%. Já em relação aos maridos, a taxa de risco de AUD após o primeiro registro de AUD em suas esposas foi de 9,21%, com diminuição para 3,09% 2 anos depois.

Em relação aos 4.891 indivíduos com múltiplos casamentos (1.439 mulheres e 3.452 homens; média de idade no primeiro casamento: 25,5 anos), quando os indivíduos mudaram de um primeiro casamento sem registro de AUD para um segundo cônjuge com AUD, a taxa de risco de AUD foi de 0,50% (IC 95%, 0,42-0,59) em mulheres e 0,51% (IC 95%, 0,44-0,59) em homens. Após um primeiro casamento com um cônjuge sem AUD, a razão de risco para o AUD com um segundo casamento com alguém que possuía AUD foi de 7,02% (IC 95%, 5,34-9,23) em mulheres e 9,06% (95% CI, 7,55-10,86) em homens.

Esses padrões foram modestamente atenuados ao passar do segundo para o terceiro casamento. O controle do registro do AUD antes do primeiro casamento ou entre o primeiro e o segundo casamento produziu mudanças mínimas no risco.

Acesse mais de 900 modelos de prescrição para uma rotina médica mais prática. Baixe aqui o Whitebook

Conclusões e Relevância

O aumento do risco de AUD em um indivíduo casado após um primeiro registro de AUD no cônjuge é grande e rápido. Quando um indivíduo que já teve outros cônjuges se casa com um parceiro com AUD versus cônjuges sem  AUD, o risco para o transtorno por uso de álcool é substancialmente aumentado quando o parceiro tem um registro em AUD e diminuído quando o parceiro não possui AUD. Estes resultados sugerem que o risco de um indivíduo casado para o AUD é direta e causalmente afetado pela presença de AUD em seu cônjuge.

Referência:

* Kendler KS, Lönn SL, Salvatore J, Sundquist J, Sundquist K. The Origin of Spousal Resemblance for Alcohol Use Disorder. JAMA Psychiatry. 2018;75(3):280–286. doi:10.1001/jamapsychiatry.2017.4457

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.