Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Poucos adolescentes portadores do HIV alcançam supressão viral em cinco meses

Poucos adolescentes portadores do HIV alcançam supressão viral em cinco meses

Acesse para ver o conteúdo

Inscreva-se gratuitamente para acessar esse conteúdo e muito mais no Portal PEBMED!

Tenha acesso ilimitado a quizzes, casos clínicos, novos estudos e diretrizes atualizadas.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Segundo o estudo The HIV Continuum of Care for Adolescents and Young Adults Attending 13 Urban US HIV Care Centers of the NICHD-ATN-CDC-HRSA SMILE Collaborative, publicado no Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes, apenas 12% dos indivíduos entre 12 e 24 anos de idade com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) atingiram a supressão viral dentro de cinco meses após o início de terapia antirretroviral (TARV), o que os torna muito menos propensos do que adultos a reduzir suas cargas virais a níveis indetectáveis. O estudo foi conduzido por Kapogiannis e colaboradores.

HIV em adolescentes

A iniciativa Strategic Multisite Initiative for the Identification, Linkage and Engagement in Care of HIV-infected youth (SMILE) foi uma colaboração entre o National Institute of Child Health and Human Development (NICHD), os Centers for Disease Control and Prevention (CDC), o Health Services and Resources Administration (HRSA) e o NICHD-funded Adolescent Medicine Trials Network for HIV/AIDS Interventions (ATN) que visava abordar, de maneira abrangente, vários objetivos de estratégia nacional para a juventude americana.

Isso incluiu a redução de novas infecções pelo HIV, melhoria no acesso aos cuidados, redução das disparidades e iniquidades em saúde e estabelecimento de esforços para colaboração em todo o país. A iniciativa ajudou jovens infectados pelo HIV (principalmente recém-diagnosticados), com idades entre 12 e 24 anos, vinculando-os a cuidados favoráveis e avaliando cada marco do HIV Care Continuum (HCC), no período de 10/2012 a 09/2014.

Leia também: Suplementação de cálcio e vitamina D são eficazes em pacientes HIV?

Através dessa iniciativa, foram registrados jovens infectados pelo HIV encaminhados, vinculados, engajados e mantidos em atendimento, juntamente com dados sociodemográficos. A supressão viral (viral suppression – VS) foi definida como ≥ 1 carga viral (viral load – VL) de HIV abaixo do nível de detecção (below the level of detection – BLD) no estudo. Correlatos de VS foram examinados usando modelos de risco proporcional de Cox.

Resultados

Os resultados encontrados foram:

  • Em treze locais de teste, o estudo identificou 1411 jovens infectados pelo HIV: 1.053 (75%) estavam vinculados, 839 (59%) envolvidos e 473 (34%) mantidos em atendimento;
  • A TARV foi iniciada em 474 (34%). Destes, 166 (12%) atingiram VS após um acompanhamento médio de 4,8 meses.

Os preditores de VS incluíram:

  • VL mais baixa na linha de base [razão de risco ajustada – adjusted hazard ratio (aHR) 1,56; Intervalo de confiança de 95% (IC 95%) 1,32-1,89); p <0,0001];
  • Recebimento recente de TARV (aHR 3,10; IC 95% 1,86-5,18; p <0,0001);
  • Menor tempo entre o teste e o encaminhamento – aHR 2,52; IC 95% 1,50-4,23; p = 0,0005 para 7 dias a 6 semanas, e aHR 2,08; IC 95% 1,08-4,04; p = 0,0294 para seis semanas a três meses em comparação com > 3 meses.

Mais da autora: Rituximabe é eficaz no tratamento da paniculite lúpica refratária na infância?

Conclusões

Com esses resultados, os pesquisadores ressaltam a necessidade de envolver prontamente os jovens recém-diagnosticados com HIV, desde o primeiro ponto de contato, mantendo-o desde o início, de maneira que os agrade, como, por exemplo, através de mensagens de texto, mídias sociais e colegas treinados.

Para Kapogiannis, adolescentes e jovens têm necessidades únicas, que, se não forem abordadas de maneira abrangente, podem criar barreiras aos comportamentos de busca de saúde, como, por exemplo, tomar os medicamentos prescritos e comparecer consistentemente às consultas.

Portanto, a eliminação de barreiras em todos os níveis e a intervenção para garantir o atendimento rápido e amigável a jovens com HIV devem ser iniciadas o mais rapidamente possível.

Autora:

Referência bibliográfica:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.