Página Principal > Colunistas > Procrastinação médica: 5 filmes de sugestão para os acadêmicos de medicina
claquete de filme

Procrastinação médica: 5 filmes de sugestão para os acadêmicos de medicina

Queremos saber a sua opinião! Gostou de ouvir essa notícia em áudio? Clique aqui e responda nossa pesquisa.

Você, acadêmico de medicina, vai entrar de férias ou quer aproveitar o tempo livre no feriadão para assistir alguns bons filmes? Aqui vão algumas sugestões:

1- Tempo de despertar: É um drama criado em 1990, baseado em uma história real, retrata a vida de Oliver Sacks, neurologista e biólogo, que no filme é retratado como Malcolm Sayer (Robin Williams). Ele trabalha de 1917 até o ano de 1928 com pacientes catatônicos que sobreviveram à epidemia de encefalite letárgica após a Primeira Guerra Mundial, e descobre então que determinados estímulos como ouvir uma música familiar, experimentar o toque humano tem efeitos benéficos para os pacientes.

Em 1969, Dr. Marcolm Sayer começa a trabalhar em um hospital no Bronx, em Nova York e descobre que Leonard Lowe (Robert De Niro) consegue se comunicar usando da tábua Ouija. Após assistir uma conferência a respeito do uso da L-Dopa em pacientes com a doença de Parkinson, Dr. Malcolm acredita que essa medicação pode trazer efeitos positivos para seus pacientes em estado catatônico. Ao levar o assunto para o diretor do hospital, Sayer tem que fazer a escolha de medicar apenas um paciente a princípio, e ele escolhe Leonard Lowe (Robert de Niro). O filme traz de maneira muito tocante a reflexão sobre o tempo, o aproveitamento da vida e grandes lições de humanidade.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

2- Quase deuses: Também é um filme baseado em uma história real, foi lançado em 2004 e conta a história de Vivien Thomas, um marceneiro, que tinha economias guardadas em um banco para realizar o sonho de estudar em uma faculdade de medicina, mas devido à grande depressão em 1929, o banco faliu e todas suas economias foram perdidas.

Ele então consegue um emprego como faxineiro de um hospital, lá ele conhece o Dr. Alfred Blalock. Vivien começa então a estudar por conta própria todos os livros de medicina no hospital e Dr. Alfred percebe o seu potencial. Dessa parceria, os dois começam a desenvolver técnicas cirúrgicas revolucionárias. Assim, Vivien Thomas, mesmo sem um diploma, supera as dificuldades do preconceito e torna-se um dos profissionais mais brilhantes e inspiradores.

3- O físico: Conta a história de Rob Cole, durante o século XI, na Inglaterra, época da Idade Média, na qual a Europa vivia uma fase de poucos avanços científicos, devido ao poder da Igreja inquisidora. Ele se torna aprendiz de um barbeiro cirurgião, mas decide ir para a Pérsia, aprender com o sábio Ibn Sina sobre todos os campos da medicina. Para isso se passa por judeu, já que cristãos não eram aceitos na escola.

Mais da AEMED: ‘Estudar medicina, fator de risco para transtornos mentais?’

4- Mãos talentosas: Conta a história de Benjamin Carson, um famoso neurocirurgião pediátrico. Ele veio de uma família humilde, tinha dificuldades na escola, mas com a ajuda de sua mãe se formou no ensino médio com excelentes notas e entrou posteriormente para uma escola médica. Com suas mãos talentosas, realizou várias intervenções cirúrgicas e salvou a vida de muitas crianças. Em 1987, enfrentou um grande desafio, a cirurgia de separação de gêmeos siameses. seu método ficou mundialmente conhecido. Filme emocionante, que mostra superação das adversidades na vida de Carson, e como a humildade, dedicação, estudo e amor de sua mãe, o levou a se realizar pessoal e profissionalmente.

5- Um estranho no ninho: É um clássico do cinema, baseado no livro: “One Flew Over the Cuckoo’s Nest”. Foi escrito por Ken Kesey, que usou suas experiências pessoais da época em que trabalhou no centro psiquiátrico Agnew, em San Jose, Califórnia. A história mostra Randle McMurphy (Jack Nicholson), um homem preguiçoso que finge estar insano para não ter que trabalhar e vai para uma instituição de tratamento para doentes mentais.

McMurphy começa a usar o local então para incentivar os colegas a irem contra a ordem imposta pelas pessoas que lá trabalhavam, questionarem os medicamentos e a forma como eram tratados. Seus atos entretanto, se chocam com o da enfermeira-chefe,  Mildred Ratched (Louise Fletcher), a qual passa a dificultar toda estadia de Randle na instituição. O filme traz a discussão de como a saúde mental era tratada, com abuso no uso de medicações, rígidas normas e castigos.

Autor:

2 Comentários

  1. Lucio Baena de Melo

    Oliver Sacks nasceu em 1933. Não há como ter trabalhado na data descrita. A data que vc mencionou está relacionada à epidemia, e não ao atendimento dado por ele. Boa seleção. Abraço, Lucio

  2. Marcelo Neubauer

    Um filme fundamental é “E a vida continua…” (And the band plays on) que conta a história da descoberta da AIDS



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.