Profilaxia pré-exposição para HIV: medicação intramuscular pode ser eficaz?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Uma das ferramentas para a prevenção de novas infecções pelo vírus HIV é o uso da profilaxia pré-exposição (PrEP). Até o momento, a combinação de tenofovir e entricitabina (TDF/FTC), com o nome comercial de Truvada®, é o medicamento mais estudado para PrEP, sendo altamente eficaz. Entretanto, adesão ao uso regular de comprimidos pode ser um fator que compromete a eficácia do método.

O HPTN 083 é um estudo randomizado, duplo-cego e multicêntrico em andamento que procura avaliar a eficácia da formulação injetável de cabotegravir em relação ao TDF/FTC como forma de PrEP. O cabotegravir é um antirretroviral da classe dos inibidores de integrase, que possui uma formulação oral e uma formulação de longa duração que pode ser administrada como injeções intramusculares a cada oito semanas. O estudo procura avaliar se cabotegravir IM seria uma opção segura e eficaz de profilaxia que não necessitasse de tomadas diárias de comprimidos.

cadastro portal

seringa com profilaxia pré-exposição para HIV intramuscular

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

PrEP intramuscular para HIV

O estudo foi desenhado em três fases. A população recrutada consiste em 4570 homens que fazem sexo com homens e mulheres transgênero que fazem sexo com homens residentes de diversos países, incluindo o Brasil. Na fase 1, os participantes eram aleatoriamente randomizados para receber inco semanas de cabotegravir VO ou TDF/FTC VO, junto com placebo.

Na fase 2, os participantes receberiam uma injeção de cabotegravir 600 mg, IM, a cada dois meses e pílulas placebo diariamente ou TDF/FTC diário e uma injeção placebo, IM, a cada dois meses, por 148 semanas. Em ambas as fases, a administração de placebo nos dois grupos foi mantida para garantir o mascaramento das drogas do estudo tanto para os participantes quanto para os pesquisadores. A fase 3 consistiria em uso de TDF/FTC diário por todos os participantes por mais 48 semanas.

Leia também: Terapia intramuscular de longa duração para HIV: resultados promissores

Uma análise interina dos dados mostrou que cabotegravir IM a cada duas semanas foi altamente eficaz na prevenção de novas infecções pelo HIV. Durante o estudo, foram detectadas 50 novas infecções pelo HIV, sendo 38 no grupo que estava em uso de TDF/FTC (taxa de incidência de 1,21%) e 12 no grupo do cabotegravir (taxa de incidência de 0,38%), o que representa uma diferença de três vezes no número de infecções incidentes entre os grupos. Baseado nesses resultados, o comitê de monitorização de dados e segurança recomendou que o mascaramento do estudo fosse interrompido precocemente. Os participantes continuarão sendo acompanhados pelos pesquisadores e novas análises serão realizadas.

Mensagens práticas

Cabotegravir IM a cada dois meses mostrou-se altamente eficaz na prevenção de novas infecções por HIV na população de homens que fazem sexo com homens e de mulheres transgênero que fazem sexo com homens. Um estudo semelhante (HPTN 084) está sendo conduzido na África Sub-Saariana para avaliar a estratégia em mulheres.

Veja mais: HIV: rastreio para criptococo e reforço de adesão como estratégias para diminuir mortalidade

Apesar de apresentar mais infecções incidentes do que o braço do cabotegravir, TDF/FTC manteve uma incidência muito baixa de infecções, demonstrando mais uma vez sua alta eficácia como método preventivo.

O uso de cabotegravir IM de longa duração pode vir a ser uma opção para pacientes em que a adesão a um regime de ingestão diária de comprimidos seja uma dificuldade. Nenhuma formulação de cabotegravir está disponível no Brasil até o momento.

Atualmente no Brasil, a PrEP está disponível pela rede pública de saúde para populações-chave: homens que fazem sexo com homens, pessoas transgênero, profissionais do sexo e parcerias sorodiferentes para o HIV.

Autora:

Referências bibliográficas:

  • HPTN. HPTN 083 A Phase 2b/3 Double Blind Safety and Efficacy Study of Injectable Cabotegravir Compared to Daily Oral Tenofovir Disoproxil Fumarate/Emtricitabine (TDF/FTC), for Pre-Exposure Prophylaxis in HIV-Uninfected Cisgender Men and Transgender Women who have Sex with Men. Disponível em: https://www.hptn.org/research/studies/hptn083

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar