Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Quais cânulas de traqueostomia podem ser usadas em pediatria?

Quais cânulas de traqueostomia podem ser usadas em pediatria?

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

De acordo com o “Primeiro Consenso Clínico e Recomendações Nacionais em Crianças Traqueostomizadas da Academia Brasileira de Otorrinolaringologia Pediátrica (ABOPe) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)”, os tamanhos de cânulas de traqueostomia (TQT) em crianças devem ser harmonizados segundo o peso e a idade do paciente.

Traqueostomia em crianças

A utilização de balonete (cuff) é indicada somente em casos em que há necessidade de se melhorar a ventilação e para, de uma forma transitória, minimizar o impacto da aspiração, quando vigente. Nos casos em que o cuff é indicado, sua pressão deve ser aferida e preservada em até, no máximo, 20 cmH2O (ou 15 mmHg).

As cânulas de TQT recomendadas para uso em pediatria incluem as biocompatíveis siliconadas ou de plástico. O uso de cânulas metálicas em crianças não é recomendado no consenso, pois são de baixa biocompatibilidade, não são maleáveis e apresentam risco mais elevado de lesão na traqueia. Isso porque os pacientes pediátricos não limitam seus movimentos de corpo e pescoço quando traqueostomizados.

A adaptação de cânulas com comprimentos inadequados também não é recomendada. Segundo o consenso brasileiro, “a facilidade da higienização do mandril interno traz a falsa sensação de baixo risco de obstrução, o que não é comprovado pelas evidências e pode retardar a troca”. Ademais, é preciso ter em mente que o mandril interno diminuiu o lúmen da cânula e pode ocasionar insuficiência respiratória, ainda que a numeração seja aparentemente adequada para a idade da criança.

Leia também: Traqueostomia em crianças: quais as indicações e complicações?

Cânulas

As cânulas de TQT encontradas mais comumente no mercado brasileiro são:

  • Portex®: produzida em policloreto de vinila (PVC). Dura 29 dias. A higienização e sua reutilização não são recomendadas;
  • Shiley®: produzida em PVC siliconado. Dura 28 dias. A higienização e sua reutilização não são recomendadas;
  • Comper®: produzida em PVC. Dura 30 dias. Possui, em média, um comprimento 7 mm mais longo do que as demais cânulas;
  • Trachoe®: produzida em PVC siliconado. Dura 120 dias;
  • Bivona®: feita de silicone. Dura nove meses, sendo recomendada sua higienização a cada 30 dias.
Alguns exemplos. | Links nas referências

Mais da autora: Associação de coronavírus com doença respiratória grave e internação em UTI pediátrica

O Quadro 1 sintetiza as medidas recomendadas de diâmetro interno da cânula de TQT apropriada para idade/peso do paciente pediátrico.

Quadro 1: Medidas recomendadas de diâmetro interno da cânula de TQT apropriada para idade/peso do paciente pediátrico

Idade/Peso Cânula de TQT recomendada

(diâmetro interno – em mm)

Prematuros e neonatos com menos de 1000 g 2,5
Bebês com peso entre 1000 e 2500 g 3,0
Neonatos e bebês de até 6 meses de idade 3,0 – 3,5
Lactentes com idades entre 6 a 12 meses 3,5 – 4,0
Lactentes com idades entre 1 a 2 anos 4,0 – 4,5
Crianças maiores de 2 anos Idade + 16

                                                  4 

Legenda: g – gramas; mm – milímetros; TQT – Traqueostomia. | Fonte: Adaptado de Avelino et al. (2017).

Autor:

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.