Página Principal > Colunistas > Qual é a eficácia da mobilização precoce em crianças em UTIs pediátricas?
uti pediátrica

Qual é a eficácia da mobilização precoce em crianças em UTIs pediátricas?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A pesquisa Prevalência de Reabilitação Aguda em Crianças de UTI Pediátrica (do inglês Prevalence of Acute Rehab for Kids in the PICU – PARK-PICU) é um estudo transversal internacional conduzido com o objetivo de estabelecer a prevalência e as características da mobilização precoce como parte do tratamento clínico de rotina para crianças graves em Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP).

Crianças em UTIP correm o risco de sequelas físicas, neurocognitivas e psicossociais, como resultado de sua doença crítica. Estas complicações têm impacto significativo na recuperação funcional e na qualidade de vida não somente dos pacientes, mas também de suas famílias mesmo após a alta hospitalar. Como resultado, há grande interesse em intervenções de reabilitação aguda em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Atualmente, existem inúmeras evidências que demonstram a segurança, a eficácia e o custo-efetividade da mobilização precoce em adultos em UTI. Abordagens multimodais e interdisciplinares para mobilização estão associadas a diminuição da fraqueza muscular, menor necessidade de sedação, redução de delirium, menor tempo de ventilação mecânica e menor tempo de internação em adultos. No entanto, a evidência em crianças não é clara.

Leia maisDelirium em Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica

O objetivo do PARK-PICU é determinar a prevalência, as características demográficas e as barreiras ao tratamento com relação ao envolvimento formal de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais nos cuidados com crianças em UTIP, assim como identificar os fatores associados à progressão da mobilização nestes pacientes. Os resultados do estudo irão fornecer informações relevantes para futuros ensaios clínicos de intervenção que avaliam o efeito da mobilização precoce na melhora clínica em curto e em longo prazo em crianças em fase ativa de seu desenvolvimento neurocognitivo.

O estudo PARK-PICU foi iniciado nos Estados Unidos, mas está em expansão para diversas unidades no Canadá, Europa e Austrália. O Brasil também participa deste importante estudo com 27 UTIP brasileiras A primeira fase de coleta de dados ocorreu em 16 de abril de 2019, num período de 24 horas. A segunda fase está prevista para ser realizada após oito semanas, em junho de 2019.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.