Rifampicina como adjuvante melhora desfecho no tratamento da bacteremia por S. aureus?

Em novo estudo da revista Lancet, pesquisadores testaram se rifampicina como adjuvante melhora o desfecho do tratamento ou a recorrência da doença.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A bacteremia por Staphylococcus aureus é uma causa comum de infecção adquirida em todo o mundo. Em novo estudo da revista Lancet, pesquisadores testaram se rifampicina como terapia adjuvante melhora o desfecho do tratamento ou a recorrência da doença.

Para esse estudo, que foi multicêntrico, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo, 758 adultos (≥ 18 anos) com bacteremia por S. aureus que receberam ≤ 96 horas de antibioticoterapia foram recrutados de 29 hospitais do Reino Unido, entre 2012 e 2016.

Os participantes foram randomizados para receber duas semanas de rifampicina como adjuvante (600 mg ou 900 mg por dia, de acordo com o peso; oral ou intravenoso) versus placebo (mesmo esquema), juntamente com a antibioticoterapia padrão com flucloxacillina por 29 dias.

O desfecho primário foi o tempo para falha confirmada no tratamento, ou recorrência de doença, ou morte por todas as causas, desde a randomização até 12 semanas.

Quatrocentos e oitenta e cinco (64%) participantes tiveram infecções por S. aureus adquiridas na comunidade, 132 (17%) apresentaram infecções hospitalares e 47 (6%) apresentaram infecções resistentes a meticilina.

Resultados

Na semana 12, 17% dos participantes que receberam rifampicina versus 18% que receberam placebo experimentaram falha no tratamento ou recorrência da doença, ou morreram (p = 0,81). Da randomização até a 12ª semana, não foram observadas evidências de diferenças nos eventos adversos graves (p = 0,17); no entanto, 17% dos participantes do grupo rifampicina versus 10% no grupo placebo apresentaram eventos adversos relacionados a antibióticos (p = 0,004).

Pelos achados, os pesquisadores concluíram que a rifampicina como adjuvante não forneceu nenhum benefício geral em relação à terapia antibiótica padrão em adultos com bacteremia por S. aureus.

Veja também: ‘3 dicas fundamentais no tratamento da bacteremia por S. aureus’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Especialidades