Riscos do alívio: diretrizes para prescrição de opioide

Devido ao aumento nos relatos de overdose por opioide e seu uso na prática clínica nos EUA, o CDC lançou uma série de recomendações para prescritores.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Devido ao aumento nos relatos de overdose por opioide e seu uso na prática clínica nos EUA, o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) lançou uma série de recomendações para prescritores, na tentativa de diminuir o uso e abuso do medicamento. Como o abuso de opioides é uma preocupação global, e também crescente na saúde brasileira, resumimos a publicação em 12 recomendações:

  1. No contexto da dor crônica, o tratamento não farmacológico e o tratamento farmacológico com medicamentos não opioides são preferíveis. O tratamento com opioides deve ser considerado apenas quando os benefícios superam os riscos do uso contínuo do medicamento, especialmente em pacientes refratários. Caso optado por iniciar tratamento opioide, o mesmo deve ser mantido em conjunto com outros medicamentos não opioides e com tratamento não farmacológico, na tentativa de garantir a menor dose necessária do medicamento.
  2. Na etapa pré-terapêutica, ao planejar o tratamento, deve-se estabelecer metas de melhora da dor e função para todos os pacientes, considerando a descontinuação do medicamento caso os benefícios não compensarem os riscos. Ou seja, o tratamento só deverá ser mantido se houver melhora substancial.
  3. O planejamento terapêutico deve incluir ampla orientação ao paciente dos riscos conhecidos e da importância do uso responsável da medicação. Estes conceitos devem ser continuamente revistos e reforçados no seguimento dos pacientes.
  4. No início do tratamento, deve-se optar por opioides de ação imediata em detrimento dos opioides de liberação prolongada, e deve-se prescrever a menor dosagem eficaz, com reavaliação cuidadosa do aumento da dose, dos riscos e benefícios da mesma.
  5. Riscos individuais devem ser considerados ao aumentar a dose para ≥50 equivalentes de miligrama de morfina (MME) por dia e devem evitar aumentar a dosagem para ≥ 90 MME/dia. Caso seja necessário doses ≥ 90 MME/dia deve-se justificar cuidadosamente a decisão.
  6. O uso prolongado de opioides geralmente se inicia no tratamento de um quadro agudo. Portanto, quando necessário o uso do mesmo no tratamento de alguma doença aguda, prescrever a menor dose efetiva de um opioide ação imediata e não prescrever quantidade de comprimidos maior do que a necessária para o tratamento. Geralmente, 3 dias de tratamento são suficientes e mais de 1 semana é raramente necessário, e deve ser desencorajado.
  7. Deve-se reavaliar riscos e benefícios do tratamento após 1-4 semanas do início do mesmo, e, a seguir, no mínimo a cada 3 meses ou com maior frequência. Se os benefícios não superam os riscos, considerar aumentar a dose de outros medicamentos, ou tratamentos adjuvantes, na tentativa de diminuir a dose do opioide e até suspender a medicação.
  8. Incorporar no plano de tratamento estratégias para diminuir o risco, incluindo considerar oferecer naloxona na presença de fatores que aumentam o risco de sobredosagem, tais como: histórico de overdose, história de abuso da substância, doses ≥50 MME/dia ou utilização simultânea de benzodiazepínicos.
  9. Deve-se revisar o histórico de prescrições de substâncias controladas e determinar se o paciente está recebendo associações perigosas que o colocam em alto risco de sobredosagem, tanto no início do tratamento como, pelo menos, a cada 3 meses.
  10. Recomenda-se utilizar rastreio toxicológico de drogas na urina em todos os pacientes a iniciar tratamento com opioides, e recomenda-se avaliar manter o rastreio anualmente. Busca-se, com isso, detectar o uso de outros medicamentos e drogas ilícitas que influenciariam no tratamento.
  11. Deve-se, sempre que possível, evitar a co-prescrição de opioides e benzodiazepínicos.
  12. Em caso de abuso do uso de opioides, deve-se iniciar tratamento baseado em evidências, com buprenorfina ou metadona.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências Bibliográficas:

  • CDC guideline for prescribing opioids for chronic pain. Estados Unidos, 2016. MMWR Recomm Rep 2016;65(RR-1):1-49.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão

Tags