Página Principal > Cardiologia > Rivaroxabana é aprovada para doença arterial coronariana e periférica
rivaroxabana

Rivaroxabana é aprovada para doença arterial coronariana e periférica

Tempo de leitura: 1 minuto.

A Rivaroxabana acaba de se tornar a primeira, dentre os novos anticoagulantes orais, a ser indicada pelo Food and Drugs Administration (FDA), em combinação com aspirina (AAS), para reduzir o risco de eventos cardiovasculares maiores em adultos com doença arterial coronariana (DAC) crônica ou doença arterial periférica (DAP). Na Europa, a combinação já havia sido aprovada em agosto.

A aprovação tem como ponto de partida o estudo COMPASS de fase 3, que mostrou que rivaroxabana 2,5 mg duas vezes ao dia junto com ácido acetilsalicílico (AAS) 100 mg uma vez ao dia, foi associado a uma redução de risco de 24% do desfecho composto por acidente vascular cerebral, morte cardiovascular e miocárdio infarto, em comparação com o uso isolado do AAS 100 mg em pacientes com DAC ou DAP.

Leia mais: Rivaroxabana em pacientes com ICFER, DAC e em ritmo sinusal: tem benefício?

Com relação a efeitos colaterais de sangramento, o estudo destacou que o risco de hemorragia grave foi significativamente maior com a rivaroxabana + aspirina (AAS) do que com a aspirina isoladamente, mas não houve aumento significativo nos sangramentos fatais ou intracranianos.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Dayanna de Oliveira Quintanilha

Médica no Hospital Naval Marcílio Dias ⦁ Residência em Clínica Médica na UFF ⦁ Graduação em Medicina pela UFF ⦁ Contato: dayquintan@hotmail.com

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.