Leia mais:
Leia mais:
Uso dos antídotos dos novos anticoagulantes em pacientes com sangramento grave
Check-up Semanal: terapias invasivas para osteoartrite de joelho, esofagectomia cervical versus torácica e mais! [podcast]
Qual o impacto da anticoagulação terapêutica na mortalidade por Covid-19?
AHA 2020: Uso da rivaroxabana em pacientes com prótese valvar e fibrilação atrial
Estudo avalia complicações pós-parto em pacientes recebendo terapia de anticoagulação

Rivaroxabana é aprovada para doença arterial coronariana e periférica

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minuto.

A Rivaroxabana acaba de se tornar a primeira, dentre os novos anticoagulantes orais, a ser indicada pelo Food and Drugs Administration (FDA), em combinação com aspirina (AAS), para reduzir o risco de eventos cardiovasculares maiores em adultos com doença arterial coronariana (DAC) crônica ou doença arterial periférica (DAP). Na Europa, a combinação já havia sido aprovada em agosto.

A aprovação tem como ponto de partida o estudo COMPASS de fase 3, que mostrou que rivaroxabana 2,5 mg duas vezes ao dia junto com ácido acetilsalicílico (AAS) 100 mg uma vez ao dia, foi associado a uma redução de risco de 24% do desfecho composto por acidente vascular cerebral, morte cardiovascular e miocárdio infarto, em comparação com o uso isolado do AAS 100 mg em pacientes com DAC ou DAP.

Leia mais: Rivaroxabana em pacientes com ICFER, DAC e em ritmo sinusal: tem benefício?

Com relação a efeitos colaterais de sangramento, o estudo destacou que o risco de hemorragia grave foi significativamente maior com a rivaroxabana + aspirina (AAS) do que com a aspirina isoladamente, mas não houve aumento significativo nos sangramentos fatais ou intracranianos.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.