Hematologia

Rivaroxabana x apixabana: qual desses NOACs é mais seguro e eficaz?

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

A anticoagulação é uma técnica que visa atrasar ou impedir a coagulação sanguínea para, assim, evitar trombos. Esta estratégia terapêutica é utilizada na profilaxia e tratamento de doenças, como trombose venosa profunda e embolia pulmonar, além de outros eventos cardiovasculares. Os novos anticoagulantes orais (NOACs) representam um menor perfil de eventos adversos e interações medicamentosas, se comparados aos antagonistas de vitamina K.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Rivaroxabana x apixabana

A rivaroxabana e a apixabana são um dos anticoagulantes orais diretos mais prescritos nos consultórios, no entanto, há poucos estudos que guiem os médicos sobre qual fármaco é mais seguro e eficaz no tratamento do tromboembolismo venoso. E também não há evidências concretas de qual desses medicamentos oferece menor risco de sangramentos.

Para sanar a questão, pesquisadores realizaram um estudo no qual compararam a eficácia e segurança da rivaroxabana e a apixabana. O levantamento foi realizado entre 2014 e 2016 e os resultados foram divulgados no início de janeiro no periódico The Lancet Haematology.

Leia mais: Novos anticoagulantes orais (NOACS) em portadores de bioprótese valvar cardíaca com ou sem FA

O estudo, prospectivo e de coorte, randomizou 15.254 pacientes recém diagnosticados com tromboembolismo venoso. Os indivíduos foram designados aleatoriamente em dois grupos, o primeiro iniciou terapia com apixabana (n=3.091) e o segundo  foi medicado com rivaroxabana (n=12.163). O desfecho primário da efetividade foi a reincidência de tromboembolismo venoso ou ocorrência de sangramento maior.

Resultados

A recorrência de tromboembolismo venoso foi de três por 100 pessoas-ano no grupo da apixabana e no grupo da rivaroxabana o taxa ficou em sete por 100 pessoas-ano. O sangramento maior no grupo da apixabana foi de três por 100 pessoas-ano e no grupo da rivaroxabana o índice foi de seis por 100 pessoas-ano.

O uso da apixabana foi associado a um menor risco de recorrência de tromboembolismo venoso (HR 0,37; IC 95% [0,24–0,55]; p<0,0001) e a um menor risco de sangramento maior (HR 0,54; IC 95% [0,37–0,82]; p=0,0031) em relação ao uso da rivaroxabana.

Take home messages

Mais estudos devem ser aplicados para confirmar os achados do pesquisadores e ainda não há perspectiva de mudanças na prescrição da rivaroxabana.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

  • Dawwas GK et al. Effectiveness and safety of apixaban versus rivaroxaban for prevention of recurrent venous thromboembolism and adverse bleeding events in patients with venous thromboembolism: A retrospective population-based cohort analysis. Lancet Haematol 2019 Jan; 6:e20. (https://doi.org/10.1016/S2352-3026(18)30191-1)
Compartilhar
Publicado por
Roberto Caligari

Posts recentes

Uso da inteligência artificial para otimização do tratamento da sepse

Estudo avaliou modelo computacional no campo da Inteligência Artificial, capaz de sugerir tratamentos otimizados para…

17 minutos atrás

Check-up Semanal: semana da sepse, dieta vegetariana em crianças e mais! [podcast]

Check-up Semanal: confira as últimas notícias sobre semana da sepse, dieta vegetariana em crianças, apendicite…

1 hora atrás

Anestesia e síndrome carcinoide: o que precisamos saber?

A síndrome carcinoide pode surgir quando os peptídeos vasoativos secretados pelas células tumorais entram na…

2 horas atrás

Anvisa aprova uso de baricitinibe em pacientes hospitalizados com covid-19

A Anvisa aprovou uma nova indicação para o baricitinibe: o tratamento de adultos hospitalizados com…

3 horas atrás

Qual é a melhor combinação no tratamento conservador de lesões do manguito rotador?

Um estudo analisou o melhor regime de supervisão dos exercícios e o benefício das infiltrações…

4 horas atrás

AVC: como obter certificação online para aplicação da NIHSS

Foi criada uma escala para quantificar a magnitude e gravidade do AVC, a NIHSS, sendo…

5 horas atrás