Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Síndrome do ovário policístico: quando medicar?
medico segurando um remedio e escrevendo uma prescricao

Síndrome do ovário policístico: quando medicar?

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

Com uma prevalência que pode variar de 4 a 10% da população feminina, fica a dúvida: a síndrome do ovário policístico precisa ser medicada? É importante delimitar até onde vai a demanda do paciente e a do médico em cada relação médico-paciente. Entender quais aspectos da síndrome mais incomodam a paciente e definir o que e como será tratado, assim o porquê de cada intervenção.

Atualmente são usados como tratamento principalmente os anticoncepcionais combinados e metformina.

O uso de anticoncepcionais combinados está indicado se o objetivo da mulher é regularizar seu ciclo menstrual, além da possibilidade de reduzir o hirsutismo com o uso de anticoncepcionais cuja progesterona seja antiandrogênica, como a ciproterona. O uso desses anticoncepcionais reduz acne e a presença de pelos, características que comumente incomodam essas mulheres. Entretanto, caso a irregularidade menstrual e o hirsutismo não incomodem a paciente ou sejam inexistentes, seu uso somente se justifica com objetivo de contracepção.

Mais da autora: ‘Como manejar o sangramento uterino na emergência?’

Com pacientes com sobrepeso e outros fatores de risco cardiovasculares, como hipertensão, dislipidemia e história familiar de doença cardiovascular, o uso de metformina está indicado para controlar a resistência insulínica e evitar a evolução para um quadro de diabetes. O uso dessa medicação deve ser pactuado com a paciente, a fim de informá-la sobre os efeitos colaterais da medicação (principalmente gastrointestinais). É importante destacar que o uso de metformina tem caráter de prevenção de fator de risco e não de tratamento de uma doença estabelecida, como no caso do diabetes. A metformina também pode produzir bons resultados para regularização do ciclo menstrual e estímulo a ovulação em pacientes que estão tentando engravidar.

A essas mulheres deve ser explicado no que constitui a síndrome do ovário policístico, sem a taxação de doença que evolui com diabetes ou infertilidade, já que essa não é necessariamente a história natural da síndrome. O uso da medicação tem como objetivo principalmente atuar nas queixas da paciente e ajudá-la a ter melhor qualidade de vida.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autora:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.