Página Principal > Cardiologia > Sobrepeso e obesidade: o impacto na saúde de 195 países durante 25 anos
balança com a palavra sos

Sobrepeso e obesidade: o impacto na saúde de 195 países durante 25 anos

Tempo de leitura: 3 minutos.

Foi publicado recentemente no New England Journal of Medecine dados oriundos do Global Burden of Disease (GBD), “estudo-ferramenta” esse que envolve dados de praticamente todos os países e serve para tentar medir o impacto de diversos fatores de risco/comorbidades na saúde, sobre como sobrepeso/obesidade evoluíram de 1990 a 2015 em incidência, prevalência e possíveis desfechos associados.

O GBD analisa não somente a mortalidade mas também sequelas/incapacidade secundárias a tais fatores traduzidos em anos de vida perdidos e anos de vida vividos com incapacidade/sequela (sigla em inglês: DALY – disability-adjusted-life-year) e não é voltado somente à população adulta.

Além do impacto causado por sobrepeso/obesidade, foram analisadas também as faixas de IMC de acordo com idade, sexo, fatores sociodemográficos, etc. É de conhecimento geral a associação do objeto de estudo com doenças crônico-degenerativas como: doença cardiovascular, diabetes, doença renal crônica, alguns tipos de câncer e até problemas musculosqueléticos.

Em 2015, foram estimados que havia 107 milhões de crianças (critério diagnóstico da International Task Force) e 603 milhões de adultos (IMC > 30) obesos no mundo. A prevalência mundial foi de 5% para crianças e 12% para adultos, sendo maiores as taxas específicas para os dois grupos em países desenvolvidos.

No entanto, houve aumento da prevalência de obesidade na maioria dos países nos 25 anos de acompanhamento. Mesmo a prevalência em adultos sendo maior (12% x 5%), o aumento proporcional da taxa de obesos na população infantil foi maior que a de adultos em muitos países.

Veja também: ‘Cuidado paterno diminui em 33% a obesidade infantil’

A análise dos países mais populosos permite evidenciar que 33% dos adultos no Egito e 12% das crianças norte-americanas são obesos. Nesse mesmo ano, IMC elevado esteve relacionado a 4 milhões de mortes (7,1% do total de mortes) e a 120 milhões de DALY (4,9% do total de DALY), sendo a doença cardiovascular a principal causa de ambas.

De 1990 a 2015, houve um aumento relativo de 28,3% na taxa global de mortes relacionadas a IMC elevado (41,9 mortes/100.000 pessoas x 53,7 mortes/100.000 pessoas). Globalmente, os aumentos nas mortes e DALY relacionadas ao IMC associadas ao aumento e envelhecimento populacional, além de aumento das taxas de sobrepeso/obesidade, foram parcialmente contrabalançadas pela redução da mortalidade cardiovascular que surgiu com a evolução do tratamento.

Tais dados oriundos do GBD são alarmantes. Sobrepeso e obesidade vêm ficando mais e mais frequentes mesmo em crianças e em países de diferentes perfis sócio-econômicos. Políticas de saúde eficazes devem ser repensadas urgentemente para tentar mudar o panorama e possível história natural desse cenário.

Você é médico e quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autor:

Referências:

  • The GBD 2015 Obesity Collaborators*, Health Effects of Overweight and Obesity in 195 Countries over 25 Years , New Eng J Med 6/07/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.