Página Principal > Geriatria > Tai Chi Chuan diminui 58% nos riscos de quedas em idosos
quedas em idosos

Tai Chi Chuan diminui 58% nos riscos de quedas em idosos

Tempo de leitura: 2 minutos.

Na terceira idade, os indivíduos estão mais propensos às quedas. Os fatores de risco são diversos, desde a perda de massa muscular, enfraquecimento dos ossos em decorrência da osteoporose, alterações nos padrões de atividade cerebral, etc. O tratamento para evitar quedas da própria altura (QPA) em idosos mais aceito e recomendado é a prática de exercícios multimodais que combinam aeróbica, fortalecimento corporal, exercícios de flexibilidade e de equilíbrio.

Entretanto, pesquisadores da Universidade do Oregon, nos Estados Unidos, chegaram à conclusão de que a terapia baseada em Tai Chi Chuan, uma arte marcial de origem chinesa, mostrou melhores resultados no controle da queda em idosos do que o tratamento padrão com exercícios multimodais ou sessões de alongamento.

O estudo foi realizado entre 2015 e 2018 e publicado em setembro na revista Jama Network. O levantamento contou com 670 participantes com mais de 70 anos, idade média de 77,7 anos, 65% eram mulheres (n=436). Todos os pacientes eram idosos com mobilidade física prejudicada, histórico de quedas ou caíram no ano anterior à análise na base. Os indivíduos foram divididos em três grupos, o primeiro participou de aulas de Tai Chi Chuan (1 hora por duas vezes na semana), o segundo grupo manteve a rotina recomendada de exercícios multimodais e o terceiro fez sessões de alongamento. A análise acompanhou os voluntários por 24 semanas.

Leia mais: Quedas em idosos demenciados: o que precisamos saber

Ao final da pesquisa, foram observadas 152 quedas em 85 idosos do grupo do Tai Chi Chuan, 218 em 112 pacientes no grupo do exercício padrão e 363 em 127 participantes do grupo do alongamento no sexto mês de follow up. A taxa de incidentes (IRR) foi significantemente menor nos praticantes da arte marcial (IRR, 0,42; IC 95% [0,31-0,56], P < 0,001) e nos praticantes de exercícios de fortalecimento (IRR 0,60 95% CI [0,45-0,80; P = 0,001) quando comparados com o grupo do alongamento.

A redução das quedas foi de 31% nos praticantes de Tai Chi Chuan em comparação com os indivíduos do grupo dos exercícios de fortalecimento (IRR 0,69; IC 95%, [0,52-0,94]; P = 0,01). Os pesquisadores concluíram que, no geral, os adeptos da arte marcial chinesa tiveram uma redução de 58% em acidentes de QPA.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Li F, Harmer P, Fitzgerald K, et al. Effectiveness of a Therapeutic Tai Ji Quan Intervention vs a Multimodal Exercise Intervention to Prevent Falls Among Older Adults at High Risk of FallingA Randomized Clinical TrialJAMA Intern Med. 2018;178(10):1301–1310. doi:10.1001/jamainternmed.2018.3915

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.