Página Principal > Pediatria > TDAH: metilfenidato e anfetaminas são mais eficazes no controle do distúrbio
TDAH

TDAH: metilfenidato e anfetaminas são mais eficazes no controle do distúrbio

Tempo de leitura: 2 minutos.

Um tratamento eficaz para controlar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) ainda é tema de bastante discussão, pois os pesquisadores ainda não conseguiram entrar em consenso. Um estudo de metanálise, realizado na Inglaterra e publicado na revista The Lancet, constatou que os fármacos mais eficazes para o controle desses transtornos são o metilfenidato (em crianças e adolescentes) e as anfetaminas (nos adultos).

A pesquisa utilizou dados e artigos coletados sistematicamente de fabricantes de medicamentos ou autores de estudos científicos publicados sobre o assunto. O objetivo do levantamento era comparar fármacos prescritos para TDAH e analisar a eficácia no controle dos sintomas, tolerabilidade, aceitabilidade e outros desfechos clínicos importantes, como por exemplo, pressão arterial e mudança de peso.

Leia mais: Diagnóstico e tratamento de TDAH na idade pré-escolar

O estudo coletou resultados de 133 testes duplo-cegos e randômicos realizados com 14.346 crianças (idade entre 5 e 11 anos) e adolescentes (entre 12 e 18 anos) e 10.296 adultos (maiores de 18 anos), todos diagnosticados com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Não houve divisão por subtipo de transtorno, sexo, status socioeconômico ou comorbidades.

Os fármacos foram testados entre si e com placebo, e os pesquisadores incluíram no estudo os medicamentos mais prescritos para pacientes com o transtorno, como anfetaminas (inclusive lisdexanfetamina), clonidina, bupropiona, atomoxetina, guanfacina, metilfenidato e modafinil.

No geral, os desfechos foram favoráveis usando metilfenidato em adolescentes e crianças, e anfetaminas em adultos, quando os fármacos foram usados como a primeira linha de tratamento e a curto prazo (por 12 semanas ou menos). (SMD −1,02; IC 95% [−1,19 a −0,85]) para anfetamina e (SMD −0,78; IC 95% [−0,93 a −0,62]) para o metilfenidato. Os pesquisadores não acharam dados conclusivos em tratamentos mais extensos (entre 26 e 52 semanas).

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Comparative efficacy and tolerability of medications for attention-deficit hyperactivity disorder in children, adolescents, and adults: a systematic review and network meta-analysis. August 07, 2018. https://doi.org/10.1016/S2215-0366(18)30269-4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.