Tecnologias em terapia intensiva: o que há de novo?

No último mês, tive a oportunidade de acompanhar um serviço de terapia intensiva referência no mundo, onde conheci as novidades tecnológicas da área.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

No último mês, tive a oportunidade de acompanhar um serviço de terapia intensiva referência no mundo (Hospital Erasme, em Bruxelas – Bélgica), pela rodada eletiva do meu Programa de Residência em Clínica Médica. Uma das minhas maiores expectativas era conhecer o que haveria de novidades tecnológicas.

Por isso, selecionei o top 5 do que mais me impressionou para compartilhar com vocês neste post.

1. Lucas

O Lucas é um sistema de compressões torácicas, que auxilia na reanimação do paciente em parada cardíaca. Presenciei o uso do dispositivo em um protocolo de pesquisa em animais, mas me informaram ele também era usado em situações intra-hospitalares.

Pelo que observei, uma das grandes vantagens do Lucas é que ele permite que as mãos dos socorristas estejam livres para que possam se concentrar em outras atividades essenciais para salvar a vida do paciente.

Quer saber mais sobre as evidências do uso deste tipo de dispositivo? Já falamos um pouco aqui no Portal PEBMED.

2. Pupilômetro

A avaliação das pupilas é uma etapa importante do exame físico, principalmente nos pacientes mais graves.

Tradicionalmente, as medições das pupilas são realizadas de maneira subjetiva. No entanto, alguns locais já adotam o pupilômetro como medicação de rotina. Observei a pupilometria sendo feita na rotina e nos pacientes que estavam em protocolos de pesquisa que incluíam o pupilômetro.

3. Oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO)

Eu sei que o ECMO já é usado no Brasil, porém o que me impressionou no caso foi a frequência com que eles utilizam no serviço. Em um mês eu vi mais de cinco casos, incluindo pós-operatório, pós-PCR e síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA).

A máquina ECMO é semelhante à máquina de derivação coração-pulmão usada em cirurgias de coração aberto. Ela bombeia e oxigena o sangue de um paciente para fora do corpo, permitindo que o coração e os pulmões descansem.

4. Cateter Swan-Ganz

Mas Dayanna, o Swan -Ganz é antigo… Não era para estar neste post. Então, coloquei este dispositivo aqui porque ele é muito utilizado no Hospital Erasme como uma das principais formas de monitorização hemodinâmica. Eles também utilizam o monitor Picco em alguns casos. Como o Swan-Ganz está bastante esquecido em alguns locais no Brasil, achei relevante a observação.

O cateterismo da artéria pulmonar (CAP), ou cateterismo do coração direito, é a inserção de um cateter na artéria pulmonar. Seu objetivo é diagnóstico; é usado para detectar insuficiência cardíaca ou sepse, monitorar a terapia e avaliar os efeitos dos medicamentos. O cateter da artéria pulmonar permite a medição direta e simultânea das pressões no átrio direito, ventrículo direito, artéria pulmonar e pressão de enchimento (pressão “em cunha”) do átrio esquerdo.

5. Microdiálise cerebral

Reprodução: http://www.mdialysis.com/the-company/the-technique

A microdiálise cerebral era realizada em pacientes neurocríticos, principalmente nos que faziam parte de protocolos de pesquisa. Ela permite o monitoramento semi-contínuo à beira-leito do líquido extracelular do cérebro do paciente.

As indicações clínicas do monitoramento de microdiálise estão focadas no gerenciamento de injúrias cerebrais e sistêmicas secundárias em pacientes com lesão cerebral aguda (principalmente, lesão cerebral traumática, hemorragia subaracnoidea e hemorragia intracerebral), especificamente para adaptar várias rotinas de intervenções – como otimização da pressão de perfusão cerebral, transfusão de sangue, controle glicêmico e oxigenoterapia – no paciente individual. Os principais metabólitos da microdiálise (ou seja, razão lactato/piruvato e glicose) podem ser usados para monitorar a resposta do cérebro a intervenções específicas, avaliar a extensão da lesão e informar sobre o prognóstico.

Estes foram meus itens preferidos de novidades tecnológicas que conheci durante a minha rodada em Terapia Intensiva. Você conhece ou trabalha com alguma dessas tecnologias? Compartilhe sua experiência com a gente!

sepse revista

Referências bibliográficas:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão