Página Principal > Clínica Médica > Teste rápido molecular para tuberculose é incorporado ao SUS
exames laboratoriais

Teste rápido molecular para tuberculose é incorporado ao SUS

Tempo de leitura: 2 minutos.

Noticiamos em nosso portal em março/2018que o Ministério da Saúde havia enviado mais 70 aparelhos de teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB) para municípios selecionados. Na última semana, foi publicada no Diário Oficial da União a incorporação do teste no Sistema Único de Saúde (SUS). A aquisição desse método é um importante passo no sentido de diagnosticar precocemente a infecção.

Sobre o teste rápido molecular para tuberculose (TRM-TB)

Trata-se de um teste automatizado, simples, rápido e de fácil execução nos laboratórios. O método além de detectar o Mycobacterium tuberculosis, também sinaliza a resistência à rifampicina (RIF), em aproximadamente 2 horas. No teste, por meio da reação em cadeia da polimerase (PCR), é realizada em tempo real a extração, amplificação e detecção do DNA do M. tuberculosis, além de triagem de cepas resistentes à rifampicina. 

A incorporação desse exame no SUS é importante porque a sensibilidade do TRM-TB é maior do que a da baciloscopia (cerca de 90%, comparada a 65%). Além disso, o teste detecta a resistência à rifampicina com 95% de sensibilidade. Outras vantagens importantes são as altas especificidades para a detecção do M. tuberculosis (99%) e para a resistência à rifampicina (98%).

Panorama atual da tuberculose

Combater a tuberculose é um desafio mundial, estando entre as 10 principais causas de morte. A maior carga é suportada pelas comunidades que enfrentam desafios socioeconômicos. Em 2017, a tuberculose matou 4,5 mil pessoas no Brasil e foram registrados 72,8 mil casos novos no país em 2018.

Felizmente, o Brasil atingiu as Metas dos Objetivos do Milênio (ODM) de combate à tuberculose, que previa reduzir, até 2015, o coeficiente de incidência e de mortalidade da doença em 50% quando comparado com os resultados de 1990. Porém, ainda temos desafios a enfrentar.

Para acelerar o progresso em direção à eliminação da TB, particularmente nos países com maior carga de doenças, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), recomenda: 

  • Acelerar a implementação de diagnóstico com teste rápido molecular; 
  • Promover o rastreamento de contatos de pessoas com tuberculose, particularmente aquelas com menos de 15 anos; 
  • Acelerar a implementação de novos medicamentos; 
  • Obter financiamento nacional em vez de depender de fundos externos; 
  • Trabalhar com populações vulneráveis que requerem uma abordagem especial;  
  • Ter a participação ativa da sociedade civil.

Autor: 

Referências:

  • http://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-754-de-11-de-junho-de-2019-164061371
  • http://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42872-teste-rapido-molecular-para-tuberculose-amplia-rede-de-diagnostico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.