Treino de resistência protege cérebro de Esclerose Múltipla - PEBMED

Treino de resistência protege cérebro de Esclerose Múltipla

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minuto.

A esclerose múltipla é caracterizada por atrofia cerebral acelerada. Evidências sugerem que o treinamento de resistência progressiva pode combater perda de células do cérebro em outras populações, por isso, em um novo estudo pesquisadores analisaram se o exercício também pode beneficiar pessoas com a doença.

O artigo, publicado no Multiple Sclerosis Journal, apresentou um ensaio randomizado de 24 semanas, com um grupo de treinamento (n = 18, 24 semanas de exercícios de resistência progressiva seguido de atividade física auto-guiada) e de espera (n = 17, 24 semanas de estilo de vida habitual seguido de exercícios de resistência progressiva).

Veja também: ‘Amamentação: estudo indica benefício na prevenção da Esclerose Múltipla’

Os pesquisadores descobriram que o escore MSFC melhorou nos indivíduos do grupo de treinamento, mas o status de incapacidade expandida, a carga de lesão e o volume global de cérebro não diferiram entre os grupos. Houve uma tendência na porcentagem de diferença na mudança de volume cerebral. Maiores valores de espessura cortical absoluta foram observados em 19 de 74 regiões corticais investigadas após o treinamento de resistência.

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que o treinamento de resistência progressiva parece induzir um aumento na espessura cortical, indicando um efeito neuroprotetor ou mesmo neuroregenerativo na esclerose múltipla. No entanto, eles pedem cautela na interpretação dos resultados devido ao tamanho e duração do estudo.

*Esse artigo foi revisado pelo médico Eduardo Moura.

Quer receber diariamente notícias médicas no seu WhatsApp? Cadastre-se aqui!

Referências:

  • Can resistance training impact MRI outcomes in relapsing-remitting multiple sclerosis? Multiple Sclerosis Journal. First published date: July-28-2017. 10.1177/1352458517722645

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar