Antidepressivo na idade jovem está associado a maior risco de diabetes - PEBMED

Antidepressivo na idade jovem está associado a maior risco de diabetes

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

O uso de antidepressivos aumenta o risco de diabetes tipo 2 entre os jovens? É o que responde um novo artigo publicado no JAMA Pediatrics.

Para isso, foi realizado um estudo de coorte retrospectivo utilizando dados do Medicaid, programa de saúde social dos Estados Unidos, de 119.608 crianças e jovens entre 5 e 20 anos (59.087 do sexo feminino e 60.521 do sexo masculino; 54,7% entre 5 e 14 anos), que iniciaram o tratamento antidepressivo (ISRS ou ISRSN foram os mais utilizados) entre 2005 e 2009.

Pesquisadores analisaram a associação entre o uso de antidepressivos e o risco de diabetes tipo 2 de acordo com a duração do uso, a dose cumulativa e a dose média diária.

Durante quase 2 anos de seguimento, diabetes tipo 2 foi diagnosticado em 233 pacientes; cerca de dois terços dos casos ocorreram com o uso atual de antidepressivos, e um terço com o uso anterior. O uso atual de ISRS ou ISRSN foi associado a um risco aumentado de 1,9 vezes para diabetes, em relação ao uso anterior.

Veja também: ‘Entenda a relação entre antidepressivos e hiponatremia’

O risco foi maior com a dose cumulativa (risco relativo [RR] = 2,44; IC de 95%: 1,35 a 4,43 para > 4500 mg e RR = 2,17; IC de 95%: 1,07 a 4,40 para 3001-4500 mg em comparação com 1-1500 mg em doses equivalentes de cloridrato de fluoxetina), a duração do uso (RR = 2,66; IC de 95%: 1,45 a 4,88 por > 210 dias e RR = 2,56; IC de 95%: 1,29 a 5,08 por 151-210 dias em comparação com 1-90 dias) e a dose média diária (RR = 2,39; IC de 95%: 1,04 a 5,52 para > 15 vs ≤ 15 mg / d).

O uso atual de antidepressivos tricíclicos também foi associado ao risco de diabetes (risco absoluto = 0,89 por 10000 meses-pessoa vs. 0,48 por 10000 meses-pessoa; RR = 2,15; IC de 95%: 1,06 a 4,36).

Pelos achados, os pesquisadores concluíram que o uso de ISRS ou ISRSN – antidepressivos mais comumente utilizados – foi associado a um risco aumentado de diabetes tipo 2, que se intensificou com o aumento da duração do uso, a dose cumulativa e a dose média diária.

E mais: ‘Antidepressivos podem alterar massa óssea?’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Burcu M, Zito JM, Safer DJ, Magder LS, dosReis S, Shaya FT, Rosenthal GL. Association of Antidepressant Medications With Incident Type 2 Diabetes Among Medicaid-Insured Youths. JAMA Pediatr. Published online October 16, 2017. doi:10.1001/jamapediatrics.2017.2896

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar