Vacina contra Covid-19: como profissionais de saúde podem participar dos testes?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Os testes com a vacina chinesa contra Covid-19, Coronavac, foram iniciados ontem, dia 21 de julho, pelo Instituto Butantan, em São Paulo, com a participação de 9 mil voluntários da área da saúde.

A carga com 20 mil doses, proveniente da China, desembarcou nesta segunda-feira, dia 20 de julho, no Aeroporto Internacional de Guarulhos e foi levada para a sede do Instituto Butantan para ser verificada.

As doses de imunizantes e placebos serão utilizados na realização da fase 3 dos ensaios clínicos para o desenvolvimento da vacina contra a Covid-19, em parceria com a farmacêutica Sinovac Life Science.

Fase 3 da vacina contra Covid-19

Essa fase de testes no Hospital das Clínicas será direcionada a 890 voluntários. Os pesquisadores do HC irão monitorar os voluntários em consultas agendadas a cada duas semanas. A estimativa é concluir as primeiras análises em até 90 dias.

Os demais onze centros de pesquisa receberão as doses de modo escalonado. Entre os participantes, metade receberá duas doses do imunizante em um intervalo de 14 dias e a outra metade receberá duas doses de placebo.

Veja mais: Vacina contra Covid-19: como a mRNA-1273 se comportou nos primeiros testes?

Esses indivíduos serão monitorados pelos centros de pesquisa através de exames entre aqueles que tiverem sintomas compatíveis à Covid-19. Os testes serão acompanhados por uma comissão de pesquisadores internacionais, que terão acesso à plataforma científica para observar o andamento e garantir transparência em todo o processo.

“Evidentemente que a vacina será destinada a todos os brasileiros, não apenas aqueles de São Paulo. Isso será feito através do SUS, Sistema Único de Saúde, universal e gratuito a todos os brasileiros. O Instituto Butantan terá todo o domínio da tecnologia, é isto que prevê o acordo com o laboratório Sinovac”, disse João Doria, governador de São Paulo.

Quem pode se candidatar

Podem ser voluntários apenas os profissionais de saúde que estiverem na ativa, residirem perto de algum dos centros de análise e ainda não terem se contaminado com o novo coronavírus.

Leia também: Covid-19: Vacina de Oxford apresenta resultados preliminares promissores

As mulheres não podem estar grávidas ou planejarem uma gravidez nos próximos três meses. Outra restrição é não ter doenças instáveis ou que precisem de medicações que alterem a resposta imune.

Para saber se está dentro dos critérios, o candidato pode acessar a plataforma de triagem criada pelo Butantan na página especial do portal do Governo do Estado de São Paulo. Nela, é possível responder a algumas perguntas e verificar se você tem o perfil necessário para participação dos testes.

Se for considerada eficaz nos testes, a vacina poderá ser produzida no país e disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de junho de 2021, segundo a previsão do governo paulista.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora:

Referências bibliográficas:

Relacionados