Home / Colunistas / Varicela: Qual o impacto da vacina tetraviral na mortalidade de crianças no Brasil?

Varicela: Qual o impacto da vacina tetraviral na mortalidade de crianças no Brasil?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Segundo um estudo publicado no Jornal de Pediatria, a vacina tetraviral se mostrou efetiva na redução da mortalidade e das internações de crianças e adolescentes de até 15 anos com varicela no triênio 2014-2016 no Brasil.

O objetivo do estudo “Impacto da introdução da vacina tetra viral na morbimortalidade por varicela nas macrorregiões brasileiras” foi descrever o resultado da introdução da vacina tetraviral no Programa Nacional de Imunizações (PNI) em 2013 para crianças de 15 meses nas taxas de mortalidade e de hospitalização associadas à varicela no país.

bebê tomando vacina tetraviral para varicela

Varicela e vacina tetraviral

Pesquisadores de Santa Catarina avaliaram as taxas de mortalidade e de internação hospitalar associadas à varicela no período entre 2010 e 2016, de acordo com as macrorregiões brasileiras e a idade das crianças e dos adolescentes.

A população do estudo foi estratificada em grupos conforme a faixa etária: < 1 ano; 1-4 e 5-14 anos. Os dados foram obtidos por meio do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (SUS). Os investigadores realizaram um cálculo de diferença percentual entre taxas de internações e mortalidade nos períodos pré (2010-2012) e pós-vacinal (2014-2016), visando a estimar as consequências da vacinação.

Os resultados dessas análises mostraram que a vacinação diminuiu, significativamente, as taxas de mortalidade e de internação hospitalar em todas as faixas etárias em território brasileiro. Em lactentes, as taxas de mortalidade e de internação hospitalar diminuíram 57% e 40%, respectivamente. Já entre crianças de 1 a 4 anos, a taxa de mortalidade diminuiu 49% e a de internação hospitalar foi reduzida para 47%. Essas reduções foram menores nas crianças e adolescentes na faixa etária de 5 a 14 anos: 17% na taxa de mortalidade e 16% na taxa de internação hospitalar.

Leia também: Herpes zoster: casos devem aumentar nos próximos anos; como prevenir?

O impacto observado foi bastante heterogêneo. A queda nacional máxima nos índices de mortalidade por varicela foi de até 57%, sendo que as menores reduções foram observadas nas regiões Norte e Nordeste e, as maiores, nas regiões Sudeste e Sul. As taxas de internação hospitalar por varicela tiveram queda nacional máxima de 47%. Os pesquisadores observaram que, em crianças com idades entre 1 e 4 anos (com maior cobertura vacinal), houve maior diminuição, tanto na taxa de internação hospitalar quanto na taxa de mortalidade (2,6 para 0,4/100.000/ano).

Conclusões

O estudo mostrou, portanto, que houve uma diminuição significativa das taxas de mortalidade e de internação hospitalar em crianças e adolescentes de até 14 anos após a vacina contra varicela ter sido introduzida no PNI em 2013. Entretanto, os valores ainda são abaixo dos relatados em países cujo tempo de adesão é maior e com programas que abrangem uma segunda dose.

Dessa forma, os pesquisadores sugerem que um seguimento epidemiológico dos avanços nos casos de varicela e da cobertura vacinal no Brasil é primordial para que haja o desenvolvimento de políticas públicas de saúde com o objetivo de manter uma cobertura vacinal eficaz. Além disso, propõem que seja feita uma nova avaliação da efetividade da vacina após a inclusão da segunda dose em 2018, direcionada a retificar a falha vacinal da primeira dose, prevenir surtos em crianças em idade escolar e aumentar a proteção através de efeito rebanho.

Mais da autora: Caxumba: como fazer o diagnóstico e tratamento

Autora:

Referência bibliográfica:

  • Ribeiro MZ, Kupek E, Ribeiro PVZ, Pinheiro CEA. Impact of the tetra viral vaccine introduction on varicella morbidity and mortality in the Brazilian macro regions. J Pediatr (Rio J). 2020 Nov-Dec;96(6):702-709. doi: 10.1016/j.jped.2019.10.009. Epub 2019 Dec 18. PMID: 31862301.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.