Leia mais:
Leia mais:
Artralgia: Pesquisadores avaliam seu impacto persistente pós-chikungunya
Vírus chikungunya pode afetar sistema nervoso central?
Casos de dengue nas Américas chegam a 1,6 milhão este ano, alerta OPAS
Casos prováveis de dengue ultrapassam 90 mil, com 14 mortes confirmadas
Afinal, de onde veio o vírus chikungunya?

Vírus mayaro, ‘primo’ do Chikungunya, é identificado no Rio de Janeiro

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Depois de dengue, zika e chikungunya, agora é a vez do vírus mayaro. Esta semana, foi veiculada a notícia da detecção da circulação do vírus Mayaro no Rio de Janeiro por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Conhecido como “primo” do vírus do Chikungunya, (alfavírus da família Togoviridae) há o receio de que haja uma epidemia de mayaro no Sudeste.

O vírus Mayaro foi isolado pela primeira vez em Trinidad, em 1954, e o primeiro surto no Brasil foi descrito em 1955, próximo de Belém/PA. Desde então, casos esporádicos e surtos localizados têm sido registrados nas Américas, incluindo a região Amazônica. Há evidências da sua presença no Rio de Janeiro desde 2016 e foram registrados três casos, todos de Niterói. Aparentemente, o vírus pode ser transmitido tanto pelo Aedes aegypti, como as arboviroses mais conhecidas, quanto pelo Culex. Este é o pernilongo comum, o que potencializa o risco de uma epidemia.

Leia maisFebre amarela em Terapia Intensiva: o que sabemos?

Clinicamente, é muito difícil diferenciar a infecção por mayaro das causadas por outros arbovírus. As manifestações iniciam-se com quadro febril agudo inespecífico, que pode apresentar cefaleia, mialgia, exantema. A artralgia, que pode ser acompanhada de edema, é o principal sintoma das formas severas e, ocasionalmente, pode ser incapacitante ou limitante, persistindo por meses. Na maioria dos casos, a doença é autolimitada, porém casos graves podem apresentar encefalite.

Em fevereiro deste ano, a ANVISA autorizou a comercialização de kits de testes para o vírus mayaro. O kit determina a presença de anticorpos humanos da imunoglobulina da classe IgG ou IgM contra o vírus mayaro no soro ou plasma humano, o que é uma ferramenta importante no diagnóstico.

[ATUALIZAÇÃO]

O Ministério da Saúde informa que, oficialmente, não foi confirmado nenhum caso do vírus mayaro transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar