Página Principal > Colunistas > Vitamina D e gestação: o que precisamos saber?
gestante na sala de médico

Vitamina D e gestação: o que precisamos saber?

Tempo de leitura: 2 minuto.

Recentemente vem havendo muitas discussões sobre os valores normais de vitamina D:

– O Departamento de Metabolismo Ósseo e Mineral da SBEM usava valor de referência de 30 ng/mL como havia sido proposto pela Endocrine Society.

A SBEM agora preconiza:

– Desejável para população geral saudável = maior do que 20 ng/mL.
– Idosos, gestantes, pacientes com osteomalácia, raquitismos, osteoporose, hiperparatireoidismo secundário, doenças inflamatórias, doenças autoimunes e renal crônica e pré-bariátricos = entre 30 e 60 ng/mL.

Você sabia? ‘USPSTF deixa de recomendar vitamina D para prevenção de quedas em idosos’

Portanto, na gestação os valores de vitamina D permanecem na mesma faixa já proposta, mas devemos dar importância fundamental no tratamento e reposição de vitamina D nesse grupo especial de pacientes. Enquanto na população geral podemos fazer doses concentradas e até semanais, na gestação devemos sempre realizar doses diárias da medicação.

– Na gestação a ingestão mínima são 2000UI/dia.

A explicação se dá pois a placenta e o futuro bebê com metabolismo acelerado necessitam deste nutriente em todas as fases do crescimento.

Lembrando que, além de produzido na pele a partir dos raios solares, a vitamina D também é encontrada em peixes gordurosos, leite e derivados.

A dosagem de vitamina D deve então fazer parte do pré-natal, cuidados especiais para não utilizar doses muito elevadas pois a superdosagem e níveis acima de 100 ng/ml de vitamina D podem culminar com hipercalcemia.

É médico e também quer ser colunista da PEBMED? Clique aqui e inscreva-se!

Autor:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.