Você sabe conduzir uma bradicardia em crianças? - PEBMED

Você sabe conduzir uma bradicardia em crianças?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Em crianças hemodinamicamente instáveis que apresentam alteração do nível de consciência, sinais de hipoperfusão periférica, hipoxemia e associado à bradicardia, pode nos confundir quanto a melhor conduta a ser tomada. Para isso, segue um breve guia que pode auxiliá-lo:

  • Antes de tudo, a criança deve ser monitorizada, avaliada oximetria de pulso e ser realizado o acesso vascular.
  • Em seguida, realizar ventilação com pressão positiva com Bolsa-Válvula-Máscara na frequência de 1 ventilação a cada 3 ou 5 segundos. Por um período de 30 segundos. Segue-se reavaliação cardiopulmonar do paciente.
  • Caso a frequência cardíaca permaneça menor que 60 bpm:
    – Iniciar protocolo de Reanimação Cardio-Pulmonar em pediatria (15 compressões intercaladas com 2 ventilações, se 2 socorristas, ou 30 compressões intercaladas com 1 ventilação, se 1 socorrista).
    – Reavaliar o ritmo cardíaco do paciente a cada 2 minutos.
    – Infundir adrenalina a cada 3 a 5 minutos durante as compressões, conforme necessidade.
    – Considerar Atropina se: houver tônus vagal aumentado (por exemplo, em intoxicação por organofosforados) ou histórico de bloqueio átrio-ventricular.
  • Enquanto realizam-se todas essas medidas, o médico já solicita exames para avaliação de possíveis causas reversíveis para esse quadro. Dentre elas temos os 6 H’s e 6 T’s:
    Hipóxia
    Hipovolemia
    – “Hidrogênio” (acidose)
    Hipoglicemia
    Hipotermia
    Hipo/Hipercalemia
    Tamponamento cardíaco
    -“Tensão no tórax” (pneumotórax hipertensivo)
    Toxinas
    Trauma
    Trombose pulmonar (TEP)
    Trombose coronariana (infarto)

Após melhora do quadro de bradicardia, deve-se manter o paciente em observação, suporte cardiopulmonar e considerar avaliação de um especialista.

Acesse mais de 900 modelos de prescrição para uma rotina médica mais prática. Baixe aqui o Whitebook.

Autor:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar