Página Principal > Ginecologia e Obstetrícia > 5 procedimentos e tratamentos ginecológicos que devem ser evitados
medico segurando uma prancheta durante o atendimento com paciente

5 procedimentos e tratamentos ginecológicos que devem ser evitados

Tempo de leitura: 1 minuto.

Como parte da campanha Choosing Wisely, a American Association of Gynecologic Laparoscopists (AGGL) publicou suas recomendações de cinco procedimentos e tratamentos na área de Ginecologia que devem ser questionados e, quando possível, evitados. São eles:

1) Não realizar uma laparotomia para o tratamento de doenças não-malignas quando o manejo cirúrgico é indicado e uma abordagem via vaginal, laparoscópica ou robótica é viável e apropriada.

2) Não realizar ooforectomia de rotina em mulheres pré-menopáusicas submetidas à histerectomia para indicações não-malignas que apresentam baixo risco de câncer de ovário.

Veja também: ‘5 exames que devem ser evitados em crianças’

3) Não administrar rotineiramente antibióticos profiláticos em procedimentos laparoscópicos de baixo risco.

4) Evitar a remoção sem assistência de pólipos endometriais sem visualização direta quando a orientação histeroscópica está disponível e pode ser realizada com segurança.

5) Evitar o uso indevido de opiáceos no paciente com dor pélvica crônica sem comprometer o atendimento através da educação e prescrição responsável de opioides.

Veja o documento completo da AGGL nesse link.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.