A importância da brincadeira para o desenvolvimento da criança

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

O ato de brincar tem uma importante função no desenvolvimento global de toda criança. É por meio da brincadeira que a criança vivencia novas experiências e aprende conceitos sobre si, outras pessoas e o meio: objetos, tempo, espaço, estruturas. A brincadeira também permite que ela seja capaz de solucionar problemas do cotidiano, sendo um meio em que ela aprende a viver. Além disso, por meio da brincadeira, a criança se expressa, se comunica, associa o seu pensamento a ações.

Leia também: Quais anormalidades do desenvolvimento neurológico aparecem em crianças expostas ao zika?

A importância da brincadeira para o desenvolvimento da criança

Desenvolvimento sensório-motor

Algumas brincadeiras possuem a função de estimular habilidades que envolvem aspectos sensoriais e motores da criança. Nesse aspecto, a criança aprende habilidades físicas simples que serão importantes para a aquisição de habilidades cada vez mais complexas. Brincadeiras com essa função são importantes em toda a infância, mas principalmente nos dois primeiros anos, em que se torna extremamente importante a estimulação da atividade inato do ser humano em movimentar-se.

A exploração de si e do mundo concreto é proporcionada por atividades sensoriais, principalmente em crianças menores, que utilizam as funções táteis, visuais, auditivas, olfativas para compreender novos conceitos, como duro, mole, áspero, liso, cores, cheiros, sabores, odores.

Crianças pequenas sentem prazer em atividades que movimentam o próprio corpo como correr, pular, andar, dançar, dar cambalhota, brincar na água. Com o desenvolvimento da criança, ela passa a apreciar essas habilidades de forma mais complexa como andar de bicicleta, andar de skate, chutar uma bola.

Desenvolvimento Intelectual

A partir da exploração e manipulação dos objetos, a criança é exposta a novos conceitos, cores, formas, tamanhos, texturas, sendo importante para que ela dê significado e caracterize os objetos e o ambiente. Nesse sentido, ela desenvolve a habilidade de associar palavras, conceitos abstratos, relações espaciais como acima, embaixo, do lado, atrás.

A brincadeira é a primeira linguagem da criança, sendo utilizada por ela para expressar seus pensamentos, o raciocínio sobre determinado desafio, estimulação da memória, concentração, atenção. A criança faz o exercício de alternância de papéis simbolicamente, reproduzindo o que vive em seu cotidiano.

Outras atividades permitem que a criança solucione problemas, como o quebra-cabeças. As brincadeiras de ação e reação são importantes para as crianças relacionarem os conceitos de causa e efeito.

Socialização

Bebês começam o processo de socialização, primeiramente com a família, principalmente com a mãe, e depois com outras crianças. Ao brincar com outras da mesma idade, a criança aprende a resolver problemas relacionados à relação humana como: dar e tomar algo, minha vez, sua vez, cada ação promove uma reação no outro, aprovação e reprovação por outros, aprendem sobre gênero, desenvolvimento de valores morais, éticos, certo e errado, e assumem a responsabilidade por suas ações com o tempo.

Saiba mais: Risco de cyberbullying em crianças com distúrbios do neurodesenvolvimento

Criatividade

No momento da brincadeira, as crianças testam ideias, vivem experiências irreais, imaginam, fantasiam, exploram. Entretanto, também podem buscar por aprovações de outras pessoas, e isso pode limitar a criatividade.

Quanto mais estruturados forem os brinquedos, maior a dificuldade da criança em transformá-los, pois estará fixa na sua função imposta pelo senso comum. Os brinquedos eletrônicos e o uso de telas também limitam a função da criatividade da criança e não devem ser oferecidos em excesso.

Autoconsciência

Bebês iniciam a descoberta do corpo ainda nos primeiros meses, quando descobrem as mãos, e com o tempo os próprios pés. Brincar com os pés é interessante e logo começam a explorá-los levando a boca. Começam a perceber que ao movimentarem suas mãos, esbarram no móbile ou objeto e consequentemente provocam reação: o objeto cai, faz barulho, se movimenta. Isso desperta no bebê a vontade de realizar novamente o mesmo movimento, e assim ele vai explorando.

Logo as mãos ganham a função de agarrar, segurar um objeto com as duas, a complexidade dos movimentos aumenta a partir da aquisição da habilidade de segurar com apenas uma mão, movimentar de um lado para o outro um chocalho, passar o objeto de uma mão para a outra, o desenvolvimento das habilidades motoras fina.

Além disso, brincar permite a percepção de si próprio, construção da identidade, a criança conhece o seu papel no mundo e quem ela é, se torna capaz de comparar suas habilidades com as outras crianças, e experimentar outros papéis. Também possibilita a construção da sua personalidade.

Valor Terapêutico

A partir da brincadeira a criança consegue demonstrar suas emoções, frustrações e sentimentos de alguma realidade vivenciada. Resolução dos seus conflitos internos.

Ela consegue revelar muito acerca de si, durante a brincadeira: alerta de necessidades, temores, desejos, que não é capaz de expressar através da linguagem. Brincar pode ajudá-la a enfrentar e compreender uma determinada situação do dia a dia.

Moralidade

As brincadeiras contribuem para o treinamento moral. As crianças precisam seguir regras, para que sejam aceitas em um determinado jogo, junto dos colegas. Brincar é uma enorme oportunidade de aprender a conviver em sociedade, os valores importantes para construção de um adulto respeitoso ao próximo, noções de cidadania, etc.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Hockenberry MJ, Wilson DW. Fundamentos de Enfermagem Pediátrica. 9ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.
  • Hockenberry MJ, Wilson DW. Wong Manual Clínico de Enfermagem. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.
  • Veríssimo A, et al. Desenvolvimento infantil.: 130 ideias para estimular brincando. Rio de janeiro: Wak Editora, 2018.
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.