Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Quais anormalidades do desenvolvimento neurológico aparecem em crianças expostas ao zika?
médica examinando bebê que teve exposição ao zika

Quais anormalidades do desenvolvimento neurológico aparecem em crianças expostas ao zika?

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

O número de crianças que nasceram de mães com infecção pelo vírus zika (ZIKV) durante a gravidez, mas que não apresentaram deficiência aparente ao nascimento, é grande, justificando o estudo do risco de comprometimento do desenvolvimento neurológico nessa população sem síndrome congênita do zika (CZS). A CZS é caracterizada pela presença de alterações como microcefalia, atraso global no desenvolvimento neurológico, epilepsia, deficiência visual e surdez.

Com o objetivo de investigar se bebês sem CZS, mas expostos ao ZIKV intraútero, têm resultados normais no desenvolvimento neurológico até os 18 meses de idade, Mulkey e colaboradores (2020) conduziram o estudo Neurodevelopmental Abnormalities in Children With In Utero Zika Virus Exposure Without Congenital Zika Syndrome, publicado na JAMA Pediatrics.

Estudo sobre efeitos do zika

Os pesquisadores realizaram um estudo de coorte prospectiva incluindo um grupo de mulheres grávidas com ZIKV no Departamento do Atlântico, Colômbia, e em Washington, DC. Com esta coorte, foi efetuado um estudo longitudinal do neurodesenvolvimento infantil. Foram incluídos bebês nascidos vivos entre 1° de agosto de 2016 e 30 de novembro de 2017 que apresentassem: achados normais do cérebro fetal na ressonância magnética e na ultrassonografia (USG), normocefalia ao nascimento e resultados normais de exame sem evidência clínica de CZS.

Foram incluídas 77 crianças nascidas na Colômbia. Nenhuma criança nascida nos Estados Unidos atendeu aos critérios de inclusão.

O desenvolvimento infantil foi avaliado pela Warner Initial Developmental Evaluation of Adaptive and Functional Skills (WIDEA) e pela Alberta Infant Motor Scale (AIMS) em 1 ou 2 momentos entre os 4 e 18 meses de idade. Os escores WIDEA e AIMS foram convertidos em escores z em comparação com amostras normativas.

Leia também: Pneumonia: prevenção em crianças com comprometimento neurológico

Modelos de regressão longitudinal de efeitos mistos baseados nos métodos de reamostragem/inicialização (bootstrap) estimaram pontuações ao longo do tempo, respondendo pela idade gestacional na infecção materna pelo ZIKV e idade do bebê no momento da avaliação. Os resultados foram apresentados como coeficientes de declive com valores de P bicaudal com base em estatísticas z que testaram se o coeficiente diferia de 0 (sem alteração).

Das 77 crianças colombianas incluídas neste estudo de coorte, 70 (91%) não apresentaram CZS e foram submetidas a avaliações de desenvolvimento neurológico. Quarenta crianças (57%) foram avaliadas entre 4 e 8 meses de idade com idade mediana [intervalo interquartil (IQR)] de 5,9 (5,3-6,5) meses, e 60 (86%) foram submetidas à avaliação entre 9 e 18 meses de idade, com mediana (IQR) de 13,0 (11,2-16,4) meses.

Resultados

A pontuação total do WIDEA (coeficientes: idade = –0,227 versus idade = 0,006; P <0,003) e a pontuação no domínio de autocuidado (coeficientes: idade = –0,238 versus idade = 0,01; P <0,008) mostraram associações curvilíneas com a idade. Outros escores de domínio mostraram declínios lineares com o aumento da idade com base nos coeficientes de comunicação (–0,036; P = 0,001), cognição social (–0,10; P <0,001) e mobilidade (–0,14; P <0,001).

Os escores do AIMS foram semelhantes às amostra normativas ao longo do tempo (IC 95%, –0,107 a 0,037; P = 0,34). Dezenove dos 57 bebês (33%) submetidos à USG craniana pós-natal tiveram um achado leve e não específico. Não foi encontrada diferença no declínio dos escores z do WIDEA entre bebês com e sem achados da USG craniana, exceto por uma complexa relação interativa envolvendo o domínio da cognição social (P <0,049). Os escores z da AIMS foram menores em bebês com achados inespecíficos de USG craniana (–0,49; P = 0,07).

Os pesquisadores observaram, portanto, que os escores da WIDEA apresentaram um padrão curvilíneo de declínio ao longo do tempo, embora o domínio do autocuidado tenha diminuído até a idade de 12 meses e tenha aumentado para níveis normativos em 20 meses. Os escores de mobilidade e cognição social tiveram declínios consistentes e modestos.

Veja ainda: Dengue em 2020: Ministério da Saúde estima que 11 estados terão surto

Eles observaram que, embora os escores da AIMS tendessem a diminuir ao longo do tempo, esses declínios não eram estatisticamente significativos. Em relação aos 19 de 57 bebês que haviam sido submetidos a imagens pós-natais com achados leves e inespecíficos, houve um declínio nos escores de cognição social, quando comparados aos bebês sem esses achados.

O estudo não é isento de limitações: o tamanho da amostra é pequeno e não há uma população colombiana normativa para as avaliações da WIDEA e AIMS.

Conclusão

Mulkey e colaboradores (2020) concluíram que bebês com exposição ao ZIKV intraútero sem CZS parecem estar em risco de apresentar resultados anormais no desenvolvimento neurológico nos primeiros 18 meses de vida. Portanto, a vigilância do desenvolvimento neurológico em longo prazo de todos os recém-nascidos expostos ao ZIKV é recomendada.

Quer receber as principais novidades em Medicina? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referência bibliográfica:

  • MULKEY, S. B. et al. Neurodevelopmental Abnormalities in Children With In Utero Zika Virus Exposure Without Congenital Zika Syndrome. JAMA Pediatrics, 2020; DOI: 10.1001/jamapediatrics.2019.5204.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.