ACC 2021: dapagliflozina seria benéfico em pacientes com Covid-19 e fatores de risco?

Um estudo que avaliou o uso da dapagliflozina na Covid-19 em pacientes com fatores de risco foi apresentado durante o ACC 2021. Saiba mais!

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

A dapagliflozina já demonstrou redução de eventos e morte em pacientes com insuficiência cardíaca com e sem diabetes, além de demonstrar redução da progressão da doença renal crônica. Diante de tantos benefícios, por que não testar esse medicamento em pacientes com Covid-19 e risco de morte e falência de órgãos?

médico receitano dapagliflozina para Covid-19

Dapagliflozina na Covid-19

O estudo DARE 19, apresentado no congresso do American College of Cardiology (ACC 2021), envolveu 1.250 pacientes em 95 locais diferentes no Brasil, Argentina, Canadá, Estados Unidos, Índia, México e Reino Unido entre abril de 2020 e janeiro de 2021.

Além da Covid-19, os pacientes possuíam comorbidades, como diabetes, hipertensão, insuficiência cardíaca, doença renal crônica e doença aterosclerótica, sendo potenciais candidatos a complicações.

Eles foram randomizados 1:1 em um grupo que recebia placebo e em outro grupo que recebia dapaglifozina 10 mg por dia. Os comprimidos eram iniciados assim que possível e o tratamento permanecia por 30 dias mesmo que o paciente recebesse alta.

Os critérios de inclusão foram:

  • Internação por Covid-19 suspeita ou confirmada por quatro dias ou mais;
  • Saturação de O2 menor ou igual a 94% em suplementação de oxigênio 5 L/min ou mais;
  • Um ou mais fatores de risco (DM II, IC, doença aterosclerótica, doença renal crônica, hipertensão arterial).

Os critérios de exclusão foram:

  • Doença grave na admissão;
  • Filtração glomerular estimada menor que 25 mL/min/1,73 m²;
  • Diabetes tipo I;
  • Passado de cetoacidose diabética.

O desfecho primário foi dividido em duas situações:

1. Prevenção: no momento do primeiro evento:

  • Respiratório – evolução para ventilação invasiva ou não invasiva;
  • Cardiovascular – uso de vasopressores, inotrópicos, desenvolvimento ou piora de insuficiência cardíaca, fibrilação ou taquicardia ventricular sustentada;
  • Renal – dobrar o valor da creatinina basal ou hemodiálise;
  • Morte por qualquer causa.

2. Recuperação: Uma composição hierárquica para cada pacientes na seguinte ordem:

  • Morte;
  • Disfunção orgânica;
  • Estado clínico caso paciente permaneça internado após 30 dias;
  • Tempo da alta hospitalar após os 30 dias.

Características populacionais

A maioria dos pacientes estudados vieram do Brasil (762), foram randomizados 625 pacientes em cada grupo e 99% completaram o estudo. A taxa de descontinuação do medicamento e do placebo foi baixa e semelhante em ambos os grupos. A média de idade foi de 61,5 anos nos dois grupos sendo que 43% dos participantes eram mulheres.

Mais de 50% eram diabéticos e mais 80% eram hipertensos. Mais de 92% dos pacientes testaram positivo para Covi-19.

Resultados

Em relação ao desfecho primário de prevenção, ocorreram 70 eventos (11,2%) nos pacientes do grupo da dapagliflozina e 86 eventos (13,8%) no grupo placebo em um risco relativo de 0,8 (95% IC, 0,58 – 1,10); p=0,168.

Já em relação ao desfecho de recuperação também houve semelhança com um risco relativo de 1,09 (95% IC, 0,97 – 1,22); p=0,14.

Quando observados individualmente, não houve significância estatística entre os grupos em relação aos desfechos.

Conclusões

Em suma o estudo não mostrou uma melhora em relação ao desfecho primário com o uso da dapaglifozina em pacientes com Covid-19 e fatores de risco para complicações. Entretanto, numericamente, menos pacientes do grupo da dapagliflozina experimentaram disfunção orgânica, além de ter sido um medicamento bem tolerado e com menos eventos adversos que o placebo.

Essas conclusões nos levam a pensar que a dapagliflozina é uma droga segura em pacientes com Covid-19, o que fortalece o uso para pacientes com indicação e não aconselha a descontinuação do medicamento durante a infecção viral.

Estamos acompanhando o congresso do ACC 2021. Fique ligado no Portal PEBMED!

Veja mais do evento:

Referência bibligráfica:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão