Leia mais:
Leia mais:
A associação covid-19 e diabetes mellitus gestacional aumenta o risco de desfechos desfavoráveis
Identificada em São Paulo subvariante inédita da covid-19
ATS 2022: Diretrizes para pesquisa de agentes virais não influenza em PAC
Doação de leite humano é impactada negativamente pela Covid-19, segundo estudo
Hepatite: Existe risco pós-vacina contra covid-19?

Adoecimento sociogênico coletivo e a pandemia de covid-19

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Recentemente, 26 alunos de uma escola do Recife necessitaram atendimento com mobilização de seis ambulâncias e duas motos por “crise de ansiedade” segundo o SAMU. Entretanto, não se pode negar a existência de um componente social do evento uma vez que muitos adolescentes foram afetados ao mesmo tempo com sintomatologia aparentemente semelhante. Mesmo com caráter indefinido pela escassez de informações mais detalhadas, tal fato suscita a discussão acerca do fenômeno de adoecimento sociogênico coletivo (tradução de mass sociogenic illness) no contexto da pandemia da covid-19.

Saiba mais: O impacto na saúde mental dos familiares de pacientes com covid-19 grave

adoecimento sociogênico

Aspectos conceituais, históricos e epidemiológicos

Fenômenos de propagação de sintomas físicos, sem causa orgânica identificada, entre pessoas pertencentes a grupos sociais congruentes possuem diferentes denominações na literatura médica como histeria coletiva, adoecimento sociogênico coletivo ou adoecimento psicogênico coletivo. Sua característica básica envolve ansiedade intensa ou medo relacionado a uma ameaça real ou imaginária. Apesar de não existir consenso acerca da definição ou do termo mais adequado, histeria coletiva pode ter conotação negativa sendo mais contestado. Destaca-se que além da falta de consenso, a qualidade da literatura sobre o tema é limitada.

Há inúmeras descrições ao longo da história de eventos semelhantes. Seus estressores aparentemente estão relacionados ao contexto social e cultural da época em que ocorrem. Um exemplo é a provável associação do adoecimento sociogênico coletivo com as condições precárias de trabalho durante a revolução industrial. Por outro lado, a partir do século XX o medo de ataques químicos ou biológicos passa a ser componente de destaque.

Grupos de maior risco para a ocorrência de sintomas seriam crianças e adolescentes do sexo feminino, porém as observações são heterogêneas. Parece haver correlação com transmissão de sintomas de pessoas mais velhas, ou mais respeitadas socialmente, para aquelas mais novas. Os sintomas geralmente são autolimitados possuindo início, recuperação e propagação rápidos. Embora classicamente tais eventos permaneçam restritos localmente, há discussão recente na literatura acerca de sua propagação através das redes sociais.

Relação com a covid-19

No caso da escola do Recife, a notícia destaca a “falta de ar” e “desmaios” como sintomas físico principais no ocorrido além de ansiedade importante. Mesmo com informações limitadas, é necessário considerar que as marcantes transformações sociais decorrentes da pandemia da covid-19 tenham contribuído para o evento. Em meta-análise de 2021, Gang Zhao et al. inclui 28 estudos (em sua maioria com ocorrência na China) na tentativa de estimar a taxa de ataque desses eventos em crianças e adolescentes. Os principais estressores identificados foram poluição da água, suspeita de ter sido envenenado e crenças sobrenaturais. Os autores relatam um possível aumento de episódios de adoecimento sociogênico coletivo em crianças e adolescentes a partir do início da pandemia. No entanto, as evidências até o momento não possibilitam estabelecer relação causal e necessitam aprofundamento.

Implicações práticas

Dois pontos práticos principais devem ser considerados. O primeiro envolve o planejamento e treinamento dos profissionais de atendimento extra-hospitalar para adequado manejo de episódios semelhantes além da necessidade de fortalecimento das redes de saúde mental para acompanhamento dos casos. Mesmo que o episódio respeite as características descritas acima, o adoecimento sociogênico coletivo é um fenômeno definido por exclusão. Nesse caso, é sempre necessário considerar outas possíveis causas. O ponto central do tratamento envolve remover ou minimizar os estressores especialmente através de medidas ambientais e de acolhimento.

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
# Vinte e seis alunos de escola estadual passam mal e Samu diz que eles tiveram “crise de ansiedade” [Internet]. G1; 2022. Disponível em: https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2022/04/08/vinte-e-seis-alunos-de-escola-estadual-passam-mal-e-samu-diz-que-eles-tiveram-crise-de-ansiedade.ghtml  # Balaratnasingam S, Janca A. Mass hysteria revisited. Curr Opin Psychiatry. março de 2006;19(2):171–4. # Zhao G, Cheng Q, Dong X, Xie L. Mass hysteria attack rates in children and adolescents: a meta-analysis. J Int Med Res. dezembro de 2021;49(12):3000605211039812. # Weir E. Mass sociogenic illness. CMAJ [Internet]. 4 de janeiro de 2005 [citado 18 de abril de 2022];172(1):36–36. Disponível em: https://www.cmaj.ca/content/172/1/36  # Müller-Vahl KR, Pisarenko A, Jakubovski E, Fremer C. Stop that! It’s not Tourette’s but a new type of mass sociogenic illness. Brain [Internet]. 18 de abril de 2022 [citado 18 de abril de 2022];145(2):476–80. Disponível em: https://academic.oup.com/brain/article/145/2/476/6356504 
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.