Aleitamento materno e Covid-19: quais as orientações mais recentes? - PEBMED

Aleitamento materno e Covid-19: quais as orientações mais recentes?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

A Sociedade Brasileira de Pediatria publicou uma nota de alerta sobre o aleitamento materno em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), baseada em estudos publicados até o presente momento.

Mãe e filho prestam atenção às recomendações sobre aleitamento materno durante a pandemia de Covid-19.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Aleitamento materno na Covid-19

Um estudo retrospectivo chinês, publicado no Lancet, analisou a presença de Covid-19 no líquido amniótico, sangue do cordão umbilical, leite materno e swab de orofaringe de recém-nascidos de nove mães com pneumonia por Covid-19. O vírus não foi encontrado em nenhuma das amostras analisadas, o que sugere que a transmissão vertical ou via leite materno é pouco provável.

O consenso chinês, entretanto, não descarta a possibilidade de transmissão vertical do Covid-19, e recomenda suspender a amamentação (inclusive em casos apenas suspeitos).

Revisões

As revisões do CDC (Centers for Disease Control and Prevention) e do RCOG (Royal College of Obstetricians and Gynaecologists) orientam que a mãe que deseja amamentar deve tomar cuidados especiais no momento da mamada: lavar as mãos antes e depois de tocar o bebê e usar máscara facial. O editor chefe da Breastfeeding Medicine acredita que os bebês de mães infectadas provavelmente já estejam colonizados e, através da amamentação, anticorpos maternos serão passados ao bebê e o protegerão.

Caso a mãe não se sinta segura em amamentar o bebê, o leite pode ser ordenhado manualmente ou com bombas extratoras. Em ambos os casos com higiene adequada, sendo em seguida oferecido ao lactente por um cuidador assintomático, através de colheres ou copos.

Leia mais: Assistência na sala de parto ao neonato de mãe com Covid-19 suspeita ou confirmada

Diante das evidências, até o presente momento, a Sociedade Brasileira de Pediatria é favorável à manutenção do aleitamento materno. Desde que a mãe se sinta confortável e tome os cuidados adequados. As publicações a respeito desse tema indicam que o benefício do aleitamento é superior ao risco de transmissão do novo coronavírus.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar