Leia mais:
Leia mais:
AAP 2021: estudo piloto avalia estratégia de sedação baseada em analgesia com hidromorfona
Sedação na escassez de medicamentos: como lidar? [podcast]
Conteúdos novos em Covid-19: Intubação na Escassez de Sedativo e Sedação na Escassez de Medicamentos
Etomidato: É seguro fazer para sedação em pediatria?
Revista Coronavírus: intubação orotraqueal e sedação no paciente com Covid-19 [vídeo]

Analgésicos e sedativos em crianças sob ventilação mecânica

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Pacientes pediátricos estão incessantemente sujeitos a uma exagerada conturbação física e psicológica em Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP). Esse ambiente desfavorável, juntamente com a necessidade de suporte ventilatório invasivo, exige, frequentemente, o uso de medicamentos sedativos e analgésicos.

Todavia, a administração excessiva e incorreta desses medicamentos pode ter repercussões negativas, o que promove um prolongamento da necessidade de ventilação mecânica (VM), além de aumento do tempo de internação e aumento do risco de infecção.

Com o objetivo de descrever o uso de analgésicos e sedativos em crianças submetidas à VM em uma UTIP, visando diferenciar quais os medicamentos utilizados, suas respectivas doses e tempo de uso das mesmas, além de avaliar a incidência de síndrome de abstinência nesses pacientes, Araújo e colaboradores (2019) realizaram o estudo “Perfil do uso de sedoanalgesia em crianças sob ventilação mecânica em unidade de terapia intensiva”, publicado na revista Residência Pediátrica, da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Analgésicos e sedativos em crianças

Foi realizado um estudo observacional, transversal, retrospectivo, descritivo, com abordagem quantitativa e análise secundária dos dados.

Foram incluídos: pacientes admitidos em uma UTIP, entre os meses de julho de 2014 e junho de 2015, que fizeram uso de medicamentos analgésicos e/ou sedativos em infusão contínua e de VM, e que permaneceram na unidade por mais de 12 horas.

Resultados

  • No período do estudo, foram admitidas 65 crianças. Vinte e quatro pacientes foram excluídos: 9 por não terem o prontuário localizado, 13 por não fazerem uso de sedoanalgesia contínua e/ou VM e 2 por terem permanecido menos de 12 horas na UTIP;
  • Foram identificados 41 pacientes elegíveis (63% dos pacientes internados);
  • A idade média dos indivíduos foi de 2,27 ± 3,16 anos;
  • Houve predomínio do gênero feminino – 23 pacientes (56%);
  • Os medicamentos usados em infusão contínua foram: midazolam, cetamina e fentanil em baixas doses de infusão por um tempo médio de 11,5±11,4 dias;
  • O principal motivo para VM e uso desses medicamentos foi disfunção pulmonar (18/43,9%), seguido por sepse (9/22%), distúrbio neurológico (8/19,5%) e disfunção cardiovascular (5/12,2%);
  • Houve associação significativa entre a escolha dos sedoanalgésicos e a recomendação de suporte ventilatório (p = 0,037);
  • A síndrome de abstinência ocorreu em 16 (39%) dos pacientes, sendo que estes fizeram uso desses medicamentos por um período médio de 19,31(±11,57) dias. Os casos de abstinência foram reconhecidos por meio de pesquisa de registro médico do respectivo diagnóstico em prontuário, considerando-se a manifestação de sinais e sintomas característicos ao longo da internação;
  • Os autores observaram uma relação entre sedoanalgesia prolongada com o desenvolvimento da síndrome de abstinência (p<0,001): 70% dos pacientes que receberam sedação e analgesia por infusão contínua por um período superior a sete dias desenvolveram abstinência.

Conclusão

Com este trabalho, os autores destacam que o uso de sedativos e analgésicos em infusão contínua configurou-se como uma prática bastante comum nessa UTIP, sujeitando os pacientes a relevantes efeitos colaterais, como a síndrome de abstinência. Esses estudo pode refletir, segundo os autores, o perfil de muitas outras unidades. Sendo assim, os autores sugerem o uso de protocolos que guiem a utilização destes medicamentos em UTIP.

Autor:

Referência bibliográfica:

  • Araújo MM, Gomes JL, Rodrigues RNV, Cruz LKLP. Perfil do uso de sedoanalgesia em crianças sob ventilação mecânica em unidade de terapia intensiva. Resid Pediatr. 2019;9(3):1-6 DOI: 10.25060/residpediatr-2019.v9n3-09
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar