Página Principal > Oncologia > Anticoncepcionais orais e risco de câncer: o que as evidências dizem
pilulas anticoncepcionais

Anticoncepcionais orais e risco de câncer: o que as evidências dizem

Tempo de leitura: 2 minutos.

“As associações entre o uso de anticoncepcionais orais e os cânceres de ovário, endométrio, mama e colorretal são alterados por características modificáveis no estilo de vida?”, essa foi a pergunta que pesquisadores objetivaram responder em novo artigo do JAMA Oncology.

Para esse estudo de coorte, foram utilizados os dados do NIH-AARP Diet and Health Study com, pelo menos, 100 mil mulheres (idade mediana de 62 anos; 96% na pós-menopausa) que utilizavam contraceptivos orais. Foram identificados 1.241 casos de câncer de ovário, 2.337 de câncer de endométrio, 11.114 de mama e 3.507 de colorretal durante o seguimento.

As seguintes características modificáveis do estilo de vida foram analisadas:

  • Tabagismo
  • Consumo de álcool
  • Índice de massa corporal (IMC)
  • Prática de atividade física

Câncer de ovário:

A redução do risco para câncer de ovário associada ao uso de anticoncepcionais orais foi mais forte de acordo com o tempo do uso do medicamento (uso a longo prazo [≥ 10 anos] HR = 0,60; IC de 95%: 0,47 a 0,76; p < 0,001) e foi semelhante em todos os fatores modificáveis do estilo de vida.

Câncer de endométrio:

A redução do risco para câncer de endométrio também foi reforçada de acordo com a duração do uso (uso a longo prazo [≥ 10 anos] HR = 0,66; IC de 95%: 0,56 a 0,78; p < 0,001). Essa redução foi mais acentuada entre as mulheres fumantes (HR = 0,47; IC de 95%: 0,25 a 0,88), obesas (HR = 0,36; IC de 95%: 0,25 a 0,52) e que raramente praticavam atividade física (HR = 0,40; IC de 95%: 0,29 a 0,56).

Câncer de mama e colorretal:

As associações entre o uso de contraceptivos orais e câncer de mama e colorretal foram predominantemente nulas.

Resultados

Pelos achados, os pesquisadores concluíram que o uso a longo prazo (≥ 10 anos) de anticoncepcionais orais está associado a uma redução no risco de desenvolver câncer de ovário em todas as mulheres, até mesmo naquelas que eram fumantes, obesas e sedentárias; e a uma redução no risco de câncer de endométrio, com quedas mais acentuadas nas fumantes, obesas e sedentárias.

Por isso, o uso de contraceptivo oral pode ser benéfico para a quimioprevenção em uma variedade de mulheres com diferentes fatores de riscos.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Michels KA et al. Modification of the associations between duration of oral contraceptive use and ovarian, endometrial, breast, and colorectal cancers. JAMA Oncol 2018 Jan 18 || https://doi.org/10.1001/jamaoncol.2017.4942

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.