Home / Medicina Interna / Café da manhã e o risco de infarto: o que dizem as evidências?
infarto

Café da manhã e o risco de infarto: o que dizem as evidências?

Medicina Interna
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

Recentemente, recebi em meu ambulatório uma paciente que havia emagrecido 10 kg nos últimos quatro meses com jejum intermitente, ou seja, ela não jantava e nem tomava café da manhã. Fiquei me questionando: este comportamento é saudável?

Novas evidências têm reforçado a relação entre alimentos específicos e padrões de dieta com o risco cardiovascular e outros desfechos importantes. Em nosso portal, já publicamos, por exemplo, um estudo que avaliava relação entre pular o café da manhã e o emagrecimento, e outro que associava esta atitude com aumento do risco de aterosclerose.

Risco cardiovascular e jejum

Em abril, o médico e pesquisador brasileiro Dr Guilherme Neif publicou um artigo na revista European Journal of Preventive Cardiology que avaliava a relação entre hábitos alimentares (pular café da manhã e jantar tarde) com o risco de infarto. Outro estudo publicado no mês passado no American College of Cardiology também associou pular o café da manhã com aumento da mortalidade por causas cardiovasculares.

Leia maisDeixar de tomar café da manhã aumenta risco de aterosclerose

O médico brasileiro explicou como desenhou seu estudo e o impacto deste para nossa prática clínica diária. Como o Dr Guilherme ressaltou, o seu estudo é analítico, assim como os outros estudos em que citamos a relação entre não tomar café da manhã e aumento da aterosclerose/mortalidade por causas cardiovasculares. Neste contexto, as conclusões são hipóteses e novos estudos seriam necessários para confirmá-las.

Conclusão

Frente a estes artigos, devemos repensar nossa forma de prescrever alterações em hábitos diários dos pacientes, é importante que sejam consideradas todas as evidências disponíveis sobre o tema, pesando sempre a individualidade. Além disso, precisamos expor aos nossos pacientes, com clareza, os possíveis riscos e benefícios de cada comportamento.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • Vieira Musse, G. N., Moreira, T., Ayumi Kimura, M., Pereira, F. W. L., Okoshi, K., Garcia Zanati, S., … Minicucci, M. F. (2019). Skipping breakfast concomitant with late-night dinner eating is associated with worse outcomes following ST-segment elevation myocardial infarction. European Journal of Preventive Cardiology.
  • Journal of the American College of Cardiology. The Importance of Breakfast in Atherosclerosis Disease – nsights From the PESA Study. DOI: 10.1016/j.jacc.2017.08.027
  • Sievert Katherine, Hussain Sultana Monira, Page Matthew J, Wang Yuanyuan, Hughes Harrison J, Malek Mary et al. Effect of breakfast on weight and energy intake: systematic review and meta-analysis of randomised controlled trials BMJ 2019; 364 :l42

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.