Página Principal > Oncologia > Câncer de mama: confira nova diretriz para manejo de pacientes HER2+
câncer de mama

Câncer de mama: confira nova diretriz para manejo de pacientes HER2+

Tempo de leitura: 2 minutos.

A American Society of Clinical Oncology (ASCO) revisou as diretrizes para o manejo de pacientes diagnosticados com câncer de mama e são positivos para o receptor tipo 2 do fator de crescimento epidérmico humano (HER2). Um painel de pesquisadores revisou 622 artigos e publicações a fim de atualizar sua última diretriz, datada de 2014.

Orientações sobre o câncer de mama

As recomendações são direcionadas aos oncologistas, cirurgiões, enfermeiros e profissionais de saúde para o tratamento de indivíduos com HER2+ com câncer de mama em estágio avançado, exceto naqueles com insuficiência cardíaca ou significativo comprometimento da fração de ejeção do ventrículo esquerdo.

As principais orientações da diretriz são:

  • O tratamento de primeira linha contra o câncer de mama deve ser realizado com trastuzumabe, pertuzumabe e taxane, a não ser que o paciente tenha alguma contra-indicação para a taxane. Nível de recomendação: forte.
  • Médicos devem recomendar terapia direcionada para o HER2+ combinada com fármacos de tratamento de primeira linha. Nível de recomendação: forte.
  • Se o câncer de mama em pacientes com o gene HER2+ progredir durante ou após o tratamento de primeira linha, médicos devem administrar trastuzumabe entansina como tratamento de segunda linha. Nível de recomendação: forte.
  • Se o paciente com gene HER2+ estiver sob terapia direcionada em combinação com quimioterapia, a quimioterapia deve ser aplicada por cerca de quatro a seis meses, ou mais, dependendo da resposta clínica ou da toxicidade e progressão do câncer de mama. Quando a quimioterapia terminar, médicos devem continuar o tratamento direcionado a pacientes com gene HER2+. Nível de recomendação: moderado.
  • Se o paciente que tiver iniciado a terapia direcionada ao câncer de mama HER2+ combinada com quimioterapia apresentar progressão no estágio do câncer ou a quimioterapia terminar, os médicos devem adicionar terapia endócrina ao tratamento direcionado. Nível de recomendação: fraco.
  • Em circunstâncias especiais, como presença de comorbidades e/ou presença de longos intervalos sem a presença da doença, os médicos devem oferecer terapia endócrina de primeira linha. Nível de recomendação: fraco.

Leia mais: Outubro rosa: quais os benefícios da atividade física no câncer de mama?

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Giordano SH et al. Systemic therapy for patients with advanced human epidermal growth factor receptor 2–positive breast cancer: ASCO clinical practice guideline update. J Clin Oncol 2018 Sep 10; 36:2736. (https://doi.org/10.1200/JCO.2018.79.2697)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.