Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Caso Clínico / Caso clínico: sorologia IgM, transitória e isoladamente, reagente em paciente sem sintomas
vidros de sangue de paciente com coronavírus

Caso clínico: sorologia IgM, transitória e isoladamente, reagente em paciente sem sintomas

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

GFMF, sexo masculino, solteiro, 43 anos, hipertenso controlado, marcou uma teleconsulta com seu clínico geral de confiança. Durante a consulta, relatou ao médico que um morador de seu prédio havia testado positivo para o novo coronavírus, motivo pelo qual encontrava-se muito ansioso, embora não apresentasse nenhum sintoma respiratório ou outra queixa.

Estava preocupado, apesar de não ter havido nenhum contato com esse vizinho e estivesse totalmente isolado dentro de casa há quase dois meses (se recordava apenas ter saído de casa há uma semana para tomar a vacina contra a gripe no posto de saúde). Informou que já havia realizado, por iniciativa própria, um “teste rápido” em domicílio feito por um laboratório da rede particular, e que o resultado já encontrava-se disponível.

O motivo principal da consulta seria para que ele pudesse tirar algumas dúvidas sobre o resultado desse exame sorológico. Seu médico o informou que, em virtude de sua história clínico-epidemiológica, não havia nenhuma recomendação de realização da sorologia, mas já que havia feito, solicitou então que mostrasse o exame.

Para a surpresa do médico, o resultado do exame apresentava uma IgM reagente, com IgG não reagente. Frente a esse resultado, o paciente foi informado que havia a possibilidade do mesmo estar no curso de uma infecção aguda/recente pelo novo coronavírus. Já que se encontrava totalmente assintomático, foi orientado a permanecer em isolamento social domiciliar, com monitoramento periódico de sinais vitais. Foi solicitado uma nova sorologia em 14 dias, a fim de verificar a soroconversão. Informado sobre a necessidade de reavaliação do seu quadro clínico, em dias alternados, por meio de teleconsulta.

Durante todo o período recomendado de isolamento, o paciente permaneceu sem sintomas respiratórios e sem queixas. Realizou então nova sorologia (“teste rápido”) duas semanas após o primeiro, e entrou em contato com seu médico para mostrar o resultado. Novamente, para espanto do médico, o resultado de ambas as imunoglobulinas (IgM e IgG) vieram não reagentes.

Caso clínico

caso clínico

Veja outros casos clínicos:

Autor:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.