Leia mais:
Leia mais:
A associação covid-19 e diabetes mellitus gestacional aumenta o risco de desfechos desfavoráveis
Identificada em São Paulo subvariante inédita da covid-19
ATS 2022: Diretrizes para pesquisa de agentes virais não influenza em PAC
Doação de leite humano é impactada negativamente pela Covid-19, segundo estudo
Hepatite: Existe risco pós-vacina contra covid-19?

CDC: mudanças nas recomendações vacinais contra a covid-19 para imunocomprometidos

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Em 04 de fevereiro deste ano, o órgão americano Centers for Disease Control and Prevention (CDC) anunciou mudanças nas recomendações vacinais contra a covid-19 para pacientes maiores de 12 anos moderada ou gravemente imunocomprometidos. De acordo com o CDC, aqueles que receberam três doses de uma vacina de mRNA podem receber uma dose de reforço três meses depois (ao invés de cinco).

Leia também: Vacinas contra Covid-19 nas doenças reumatológicas

CDC: mudanças nas recomendações vacinais contra a covid-19 para imunocomprometidos

Razões para mudança nas recomendações vacinais

A mudança foi feita devido à preocupação com relação à presença de uma resposta imune suficiente nesses pacientes e se eles estão perdendo a proteção ao longo do tempo. O CDC também permitirá que os médicos responsáveis pelo seguimento de pacientes imunocomprometidos administrem vacinas de mRNA fora dos intervalos de dosagem recomendados caso a caso, quando determinarem que os benefícios superam os riscos potenciais.

Outra recomendação do CDC é  no que se refere a imunocomprometidos que receberam a primeira dose da Johnson & Johnson. Esses devem receber uma dose da vacina de mRNA pelo menos 28 dias depois e um reforço dois meses após a segunda dose.

Por fim, o CDC destaca que não há mais um período de atraso recomendado entre a vacinação contra a covid-19 e o uso de medicamentos com anticorpos passivos usados ​​para profilaxia ou tratamento pós-exposição. No entanto, a administração de tixagevimabe e de cilgavimabe deve ser adiada por, pelo menos, duas semanas após a vacinação.

Referências bibliográficas:

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.