Medicina de Família

Como fazer uma teleconsulta de qualidade na Atenção Primária?

Tempo de leitura: 2 min.

Com a utilização cada vez maior do recurso de telemedicina em todos os âmbitos de assistência à saúde, este passou a ser cada vez mais disponível e essencial nos atendimentos em unidades básicas de saúde e unidades de Atenção Primária à Saúde.

Diversas novas publicações a respeito surgiram nos últimos meses, no contexto de pandemia por Covid-19, justamente por esse tipo de atendimento possibilitar a manutenção do isolamento domiciliar para os pacientes. Dentre elas, destaca-se o manual da Universidade de Oxford, focado na telemedicina na APS, orientando de forma prática a atuação do Médico de Família e Comunidade nos atendimentos à distância.

Telemedicina na Atenção Primária

Entre vários tópicos, o documento descreve um passo a passo para uma consulta por vídeo de qualidade.

Antes da consulta:

  • Confirmar se a teleconsulta por vídeo é clinicamente adequada para o paciente no momento;
  • Use um ambiente privado e bem iluminado, orientando o paciente a fazer o mesmo;
  • Anote o telefone ou contato do paciente para o caso de o vídeo falhar;
  • Tenha acesso ao prontuário eletrônico, de preferência em uma segunda tela;
  • Verifique ao longo do dia se a tecnologia usada para a teleconsulta está funcionando.

Leia também: Telemedicina: como obter informações do exame físico em uma teleconsulta?

Iniciando a consulta:

  • Inicie você o contato na consulta;
  • Diga algo como “consegue me ver?” para que o paciente possa ajustar a conexão se necessário;
  • Obtenha o consentimento verbal para a consulta;
  • Apresente outros profissionais que possam estar no consultório e peça para o paciente fazer o mesmo em
  • relação a acompanhantes, ou confirmar que está sozinho;
  • Informe sobre o caráter confidencial da consulta, da mesma maneira que em uma consulta presencial;

Consultando:

  • A comunicação por vídeo funciona da mesma maneira que a presencial, as pode haver falhas técnicas ou imagens borradas;
  • Não é necessário olhar diretamente para a câmera: basta olhar para a tela;
  • Informe ao paciente nos momentos em que for fazer anotações ou olhar informações, como exames, em outra tela;
  • Registre a consulta da mesma maneira que em uma consulta presencial, no prontuário;
  • Lembre-se de que a comunicação por vídeo é mais difícil para o paciente.

Encerrando a consulta:

  • Sumarize os principais pontos abordados na consulta, principalmente levando-se em conta a possibilidade de que alguma informação tenha se perdido por interferência técnica;
  • Verifique com o paciente se restaram dúvidas ou se necessita de mais algum esclarecimento;
  • Confirme se o paciente se sentiria bem em usar novamente a teleconsulta e registre essa informação;
  • Para finalizar, avise ao paciente que irá desligar e se despeça, antes de encerrar a consulta.]]

Veja mais: Telemedicina: em que situações posso utilizar teleconsultas na Atenção Primária?

Conclusões

A incorporação do recurso de teleconsultas pode fazer muito bem a um serviço de APS. Contudo, é importante o entendimento de que o processo é mais complexo do que a maioria dos profissionais muitas vezes acreditam e que passa por adaptações estruturais e de processos de trabalho.

O médico que irá iniciar a rotina de atendimentos por vídeo deve estudar as técnicas adequadas e se manter atualizado, tendo em vista que, como diz o documento da Universidade de Oxford, mais o que a implantação de uma nova tecnologia, o início da telemedicina deve ser encarado como uma mudança do serviço para melhor.

Autor:

Referências bibliográficas:

  • REENHALGH, T.; MORRISON, C.; HUAT, G. K. C. Trad. por Donavan de Souza Lúcio e Silva Costa. Consultas por vídeo: um guia prático. University of Oxford, 2020.
Compartilhar
Publicado por
Renato Bergallo

Posts recentes

Quais fatores no manejo de hemodiálise contínua podem alterar a sobrevivência de crianças graves com lesão renal aguda?

A lesão renal aguda ocorre em mais de um quarto das crianças em Unidade de…

7 minutos atrás

Relembrando o que é o hipoparatireoidismo

O hipoparatireoidismo é uma condição relativamente rara, causada na maioria das vezes pelo dano cirúrgico…

3 horas atrás

Pandemia impactou no aumento de peso e controle da glicemia dos portadores de diabetes tipo 2

A pandemia de Covid-19 teve um impacto bastante negativo no aumento de peso e controle…

4 horas atrás

Anemia Falciforme: você pode ser um portador deste traço

A anemia falciforme atinge um grande número de brasileiros, dessa forma, os diretos do portador…

5 horas atrás

Escabiose: orientações para o sucesso do tratamento

É importante o paciente com escabiose seguir algumas orientações para tratar a dermatose. Saiba quais…

20 horas atrás

Outubro rosa: Câncer de vulva: update 2021

As neoplasias de vulva respondem apenas por 4% das neoplasias ginecológicas. Saiba mais.

20 horas atrás