Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Pediatria / Concentração de zinco e cobre no dente de leite pode ser preditor de autismo
autismo

Concentração de zinco e cobre no dente de leite pode ser preditor de autismo

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: < 1 minuto.

A desregulação de metais, que são críticos para o neurodesenvolvimento, no início da vida tem sido documentada no transtorno do espectro autista (TEA). Pensando nisso, pesquisadores realizaram um estudo para testar se as concentrações de zinco e cobre são afetados no TEA. Os resultados foram publicados no final de maio, na revista Science Direct.

Para elaborar um modelo preditivo que distinguisse participantes que seriam diagnosticados com TEA na infância dos que não desenvolveriam o transtorno, os autores utilizaram novos biomarcadores de matriz dentária, que medem diretamente a captação de elementos. As descobertas foram replicadas em três estudos independentes nos Estados Unidos e no Reino Unido, totalizando 193 participantes.

LEIA MAIS: Autismo – 5 fatos sobre a evolução dos casos nos últimos anos

Em todos os conjuntos de estudos independentes e na análise combinada, os ciclos do metabolismo do zinco e cobre foram interrompidos nos casos de TEA. Em contraste com os controles, a duração (P <0,001), a regularidade (P <0,001) e a complexidade do ciclo foram menores (P <0,001). Os pesquisadores obtiveram 90% de precisão na classificação de casos e controles, com sensibilidade ao diagnóstico de variando de 85 a 100% e especificidade variando de 90 a 100%.

Pelos achados, os pesquisadores concluíram que os ciclos do metabolismo do zinco e do cobre nas camadas dos dentes de leite podem ser capazes de prever quais crianças desenvolverão o transtorno do espectro do autismo.

LEIA MAIS: EEG pode ajudar no diagnóstico precoce do autismo

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Curtin P, et al “Dynamical features in fetal and postnatal zinc-copper metabolic cycles predict the emergence of autism spectrum disorder” Science Advances 2018; DOI: 10.1126/sciadv.aat1293.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.