Home / Cardiologia / Confira nova diretriz da AHA para medida da PA pelos métodos residenciais

Confira nova diretriz da AHA para medida da PA pelos métodos residenciais

Tempo de leitura: 3 minutos.

Em um artigo recente, discutimos as recomendações da American Heart Association (AHA) para a medida da PA em consultório. Nas diretrizes mais recentes de hipertensão, cresceu a ênfase nas medidas domiciliares ou ambulatoriais.

Há dois grandes ganhos com essa estratégia: envolvimento do paciente no seu autocuidado e redução do efeito do jaleco branco, que pode causar um aumento transitório da PA na consulta em mais da metade das pessoas.

Indicação das medidas domiciliares

  • De rotina: as diretrizes novas já sugerem incorporarmos essas medidas como rotina, mas na maior parte dos serviços no Brasil, em especial os públicos, isso ainda é uma realidade distante.
  • Obrigatório:
  1. Diagnóstico de pré-hipertensão sem lesões de órgãos-alvo
  2. Avaliação de hipertensão episódica
  3. Identificação de hipertensão no sono ou ausência de descenso no sono
  4. Avaliação da eficácia anti-hipertensiva – e separar a hipertensão resistente verdadeira da pseudo-hipertensão resistente
  5. Manejo da hipertensão durante a gravidez
  6. Avaliação da hipertensão em idosos
  7. Avaliação da hipertensão em crianças e adolescentes
  8. Triagem e seguimento na apneia obstrutiva do sono
  9. Identificação do comportamento da PA em disautonomias
  10. Avaliação da elevação matinal precoce da PA
  11. Identificação das variações circadianas da pressão, principalmente com sintomas de baixo débito ou hipotensão.

Interpretação das medidas da PA

Como a medida em casa reduz o efeito do jaleco branco, a correspondência com as medidas de consultório é 5 a 10 mmHg menor. A diretriz recomenda usar a seguinte tabela:

Diagnóstico Consultório MRPA MAPA (diurno) MAPA (noturno) MAPA (24h)
Normal <120×80 <120×80 <120×80 <100×65 <115×75
HAS (EUA)

Pré-HAS (Br/Europa)

>130×80 >130×80 >130×80 >110×65 >125×75
Estágio 1

(Br/Europa)

>140×90 >135×85 >135×85 >120×70 >130×80
Estágio 2

(Br/Europa)

>160×100 >145×90 >145×90 >140×85 >145×90

Se você reparar bem, são valores diferentes das diretrizes brasileiras de MAPA da SBC. Não se assuste nem se confunda. Como levar isso pra vida real? Paciente de maior risco cardiovascular e mais “inteiro”, tolerando bem as medicações, seja mais rígido e busque metas domiciliares até 125×75 – 135×85 mmHg – isso equivale ao 130×80 – 140×90 que você está acostumado a medir nos ambulatórios.

Há diferença entre MAPA e MRPA?

A MAPA foi muito mais estudada e mede as pressões noturnas, um importante parâmetro prognóstico. Por outro lado, é bem mais complicada de conduzir na vida real – são muitas medidas repetidas e é comum atrapalhar o sono.

Leia maisVeja nova diretriz AHA 2019 para anticoagulação na fibrilação atrial

A MRPA é mais nova, com menos estudos, mas os pacientes toleram bem mais e muitos até gostam de “participarem” do tratamento mais ativamente.

Quais as principais novidades da nova diretriz?

Na diretriz recente, não há grandes novidades na execução ou interpretação da MAPA. Eles só debatem que há vários critérios “mínimos” para dizer que uma MAPA foi bem feita, e que não há estudos mostrando qual o melhor. As opções seriam:

  • ≥80% das medidas válidas E nenhum intervalo maior que 1 hora sem medida.
  • >70% das medidas válidas.
  • >70% das medidas válidos E mínimo 20 medidas diurnas e 7 noturnas.

O que tem de novo é na MRPA: a grande polêmica é qual o protocolo mais eficaz em prever o risco de eventos cardiovasculares. Não há consenso e as recomendações americanas que diferem dos protocolos anteriores estão grifadas em CAPS.

As medidas da pressão arterial devem ser feitas:

  • De manhã, antes das suas medicações, por duas vezes.
    • Dê um minuto de intervalo em cada medida. Escolha o braço que lhe for mais confortável.
  • De noite, antes de dormir, por duas vezes.
    • Dê um minuto de intervalo em cada medida.
  • Duração: cinco a sete dias. Alguns autores descartam o primeiro dia de medidas, mas isso é opcional.

Observe as seguintes dicas para a medida correta da pressão arterial:

  • Esteja em ambiente calmo e em repouso há pelo menos cinco minutos.
  • Não fale durante a medida. Nem digite.
  • Se houver algum estresse emocional, espere se acalmar, cerca de 20 a 30 minutos, para realizar as medidas e informe ao seu médico o que houve no dia.
  • Realize as medidas com o braço apoiado na altura do coração. Apoie as costas em um encosto ou banco.
  • Não fumar, ingerir cafeína ou qualquer outro estimulante por 30 min antes da medida.
  • Utilizar um manguito de tamanho apropriado para o braço – medir a circunferência. A maioria dos manguitos tradicionais mede braços com circunferência de 22/24 cm a 32/34 cm.
  • Utilizar um aparelho calibrado e com manutenção em dia. Ao contrário de crenças prévias, os aparelhos oscilométricos de braço (e não do punho) têm excelente performance e são recomendados.

É médico ou enfermeiro e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.