Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Coronavírus: recomendações da Academia Americana de Pediatria para famílias
médico atendendo criança no colo da mãe e orientando sobre coronavírus

Coronavírus: recomendações da Academia Americana de Pediatria para famílias

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Devido a um bombardeamento de notícias a respeito da doença causada pelo novo coronavírus (Covid-19), a American Academy of Pediatrics (AAP) divulgou, no último dia 12, informações sobre como as famílias podem se proteger, o que precisam saber sobre o coronavírus e como conversar com crianças sem aumentar a ansiedade. Abaixo encontra-se um resumo dessas informações:

Coronavírus humanos

Os coronavírus humanos são uma família de vírus que geralmente causam doenças, como o resfriado comum. Quase todo mundo adquire um desses vírus em algum momento de suas vidas, sendo que, na maioria das vezes, a doença dura apenas um curto período de tempo.

Novo coronavírus humano

  • O novo coronavírus humano (SARS-CoV2, causador da Covid-19) foi descoberto em dezembro de 2019 e agora se espalhou pelo mundo todo;
  • À medida que o vírus foi se espalhando, algumas pessoas têm apresentado doenças leves, algumas têm ficado muito doentes e outras morreram. A razão pela qual as autoridades de saúde estão preocupadas é porque o vírus é novo, o que dificulta a previsão de como continuará afetando as pessoas. Pesquisadores e médicos estão aprendendo mais sobre isso todos os dias, incluindo exatamente como a doença se espalha e quem está em maior risco.

Sintomas da Covid-19

Podem variar de leve a grave e podem incluem febre, tosse e falta de ar.

Quem corre risco?

Segundo o órgão americano Centers for Disease Control and Prevention (CDC), as crianças não parecem estar em maior risco de contrair Covid-19. No entanto, algumas pessoas têm maior risco, incluindo adultos mais velhos e pessoas que têm condições médicas crônicas graves, como doença cardíaca, diabetes, doença pulmonar e sistema imunológico deprimido.

Como proteger a família

Atualmente, não existe uma vacina para prevenir a Covid-19, mas existem algumas coisas que os familiares podem fazer para manter a família saudável. As recomendações da AAP são:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por, pelo menos, 20 segundos;
  • Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos (que seja 60% ou mais à base de álcool);
  • Manter as crianças afastadas de outras pessoas doentes ou mantê-los em casa se estiverem doentes;
  • Ensinar as crianças a tossir e espirrar em um lenço de papel (certificar de jogá-lo fora após cada uso!) Ou ensinar a tossir e espirrar no braço ou cotovelo, não nas mãos;
  • Limpar e desinfetar a casa como de costume, usando sprays ou panos de limpeza domésticos regulares;
  • Evitar tocar o rosto; ensinar os filhos a fazer o mesmo;
  • Evitar viajar para áreas altamente infectadas;
  • Uma observação sobre máscaras faciais: o CDC recomenda apenas máscaras faciais para pessoas com sintomas de Covid-19, não para pessoas saudáveis. Os profissionais de saúde e qualquer pessoa que cuidam de alguém com Covid-19 devem usar máscaras faciais;
  • Se a criança foi exposta ao SARS-CoV2 ou se os pais estiverem preocupados com os sintomas, devem ligar imediatamente para o pediatra.

Como os pais podem agir com fechamento de escolas ou creches

Na vigência de surto de Covid-19 na comunidade, as autoridades de saúde pública decidiram fechar temporariamente escolas e creches para ajudar a retardar a propagação do vírus.

  • Em locais que ainda não tiveram suspensão, as escolas também podem decidir liberar os alunos mais cedo se houver muitos alunos ou funcionários ausentes. Muitas escolas usam o e-mail para atualizar as famílias. Os pais devem se certificar de que a escola de seus filhos saiba como entrar em contato com eles;
  • Os pais que trabalham podem se preparar com planos alternativos para assistência às crianças ou podem conversar com seus empregadores sobre opções domésticas de trabalho durante o fechamento da escola. Se a criança ou adolescente frequentar escola ou universidade, os pais devem incentivá-la a aprender sobre o plano da escola para um surto de Covid-19.

Se os filhos precisarem ficar em casa devido ao surto, os pais devem tentar manter os dias os mais rotineiros e programados possíveis. Algumas dicas da AAP:

  • Ler livros com o filho (não é somente divertido, mas a leitura em conjunto fortalece o vínculo com o filho e ajuda em seu desenvolvimento);
  • Brincar. Trazer os blocos, bolas, cordas e baldes e deixar a criatividade fluir. Jogar jogos que crianças de todas as idades podem jogar. Deixar os filhos criarem novos jogos. Incentivar as crianças mais velhas a fazer exercícios ou dançar para mantê-las em movimento;
  • Observar o tempo de mídia. Sempre que possível, jogar videogame ou fique online com o filho para manter esse tempo estruturado e limitado. Se as crianças estiverem com saudades de seus amigos da escola ou de outra família, tentar conversar por vídeo para manter contato.

Leia mais:

Conversando com crianças sobre a Covid-19

Há muita cobertura sobre o surto de COVID-19, o que pode ser esmagador para os pais e assustador para as crianças. A AAP incentiva os pais e outras pessoas que trabalham em estreita colaboração com as crianças a filtrar informações e falar sobre elas de uma maneira que seus filhos possam entender.

As dicas da AAP para as famílias englobam:

  • Tranquilidade. Os pais precisam lembrar às crianças que pesquisadores e médicos estão aprendendo o máximo que podem, o mais rápido possível, sobre o vírus e estão tomando medidas para manter todos em segurança;
  • Dar-lhes controle. Também é um ótimo momento para que os pais lembrem aos seus filhos o que eles podem fazer para ajudar – lavar as mãos frequentemente, tossir em um lenço de papel ou nas mangas e dormir o suficiente;
  • Prestar atenção nos sinais de ansiedade. As crianças podem não ter palavras para expressar sua preocupação, mas os pais podem ver sinais disso. Eles podem ficar irritadiços, ficar mais pegajosos, ter problemas para dormir ou parecer distraídos. Os pais devem ser firmes e manter suas rotinas normais;
  • Monitorar a mídia. Manter as crianças afastadas de imagens assustadoras que possam ver na TV, mídia social, computadores etc. Para crianças mais velhas, os pais devem conversar sobre o que estão ouvindo no noticiário e corrigir quaisquer informações erradas ou rumores que possam ouvir;
  • Os pais devem ser um bom modelo. A Covid-19 não discrimina e nem devemos discriminar. Embora o doença tenha começado em Wuhan, na China, isso não significa que ter ascendência asiática – ou qualquer outra ancestralidade – torne alguém mais suscetível ao vírus ou mais contagioso. O estigma e a discriminação prejudicam a todos, criando medo ou raiva para com os outros. Os pais devem demonstrar empatia e apoio àqueles que estão doentes, e seus filhos também.

Informação

As famílias são encorajadas a se manterem atualizadas sobre essa situação à medida que se aprende mais sobre como impedir que esse vírus se espalhe nas casas e nas comunidades.

Autora:

Referência bibliográfica:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.